Fnac avança para lay-off. Só 9% da força de trabalho não é afetada

Desde o início da semana que a Fnac encerrou todas as lojas, tendo apenas a funcionar o canal digital. Lay-off foi pedido com a duração de um mês.

A Fnac Portugal avançou para um pedido de lay-off que vai afectar 91% dos cerca de 1800 colaboradores. Apenas 9%, ou seja, um total de 162 colaboradores, não é objeto deste medida. Cadeia tem apenas o canal digital a funcionar depois de no início da semana ter encerrado as sete últimas lojas que mantinha abertas ao público, para determinados serviços, nesta fase da pandemia.

"Perante a evolução da pandemia, e os consequentes danos económicos resultantes da mesma, e de forma a salvaguardar o futuro dos seus colaboradores, a FNAC decidiu recorrer a todos os sistemas de proteção que o Governo português está a disponibilizar às empresas. Nesse sentido, recorreremos ao programa de apoio às empresas, de forma a garantir o seu futuro e os que dele dependem, através do regime de “Layoff simplificado", informa a cadeia em comunicado.

Desde o início desta semana que a Fnac encerrou as últimas 7 lojas que ainda se mantinham a operar em regime de serviços mínimos, passando a operar apenas com o canal online.

O lay-off simplificado tem efeitos partir de 1 de abril, sendo válido durante um período de um mês (renovável por igual período se se mantiverem as condições)", tendo a cadeia optado por várias modalidades: "layoff total (aplicado a 87% colaboradores cujas funções foram suspensas na totalidade, sendo na sua grande maioria colaboradores que desempenham funções nas lojas Fnac que se encontram encerradas); layoff parcial (aplicado a 4% colaboradores que continuam em funções mas redução de horário) e inexistência de layoff (aplicado a 9% colaboradores que continuam a desempenhar a totalidade das suas funções)".

"É uma decisão difícil, mas necessária, que nos permitirá garantir os mais de 1800 postos de trabalho permanentes", justifica a cadeia.

Pelo menos 3600 empresas já solicitaram o Lay-off simplificado nesta fase de pandemia do Covid-19.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de