retalho

Fnac. Receitas ibéricas atingem 722 milhões o ano passado

FNAC

Resultados beneficiaram do crescimento dos produtos técnicos, pela procura na área do Som e Telecomunicações, e pela resiliência dos Livros.

A Fnac Darty fechou o ano passado com um volume de negócios de 7.349 milhões de euros, um crescimento de 3%, apesar da perda de 70 milhões de euros de receitas com as vendas de Natal devido à agitação social em França, adiantou a cadeia de retalho especializado.

As vendas de Portugal não são reveladas nas contas da companhia, mas a nível ibérico a operação registou 722 milhões de euros, um incremento de 2,7%. “Em Portugal, o impulso das vendas permaneceu sólido ao longo do ano, destacando-se o desempenho dos Serviços que apresenta um crescimento na ordem dos dois dígitos”, destaca o grupo em nota de imprensa.

“Os resultados do mercado ibérico beneficiaram do crescimento dos produtos técnicos, impulsionado principalmente pela crescente procura na área do Som e Telecomunicações, e pela resiliência dos Livros”, refere a Fnac. Para as receitas da região, “contribuíram as vendas online, com um crescimento de dois dígitos, além da expansão contínua da rede, com a abertura de oito lojas (quatro na Espanha e quatro em Portugal) durante o ano.”

Globalmente, o resultado operacional corrente atingiu os 293 milhões de euros e fixa a margem operacional corrente nos 4%. “Inclui uma contribuição das empresas adquiridas por cerca de 20 milhões de euros em 2019. Graças ao controlo dos custos”, destaca a empresa.

O grupo traça como objetivos de crescimento para 2020 e um margem operacional corrente entre 4,5% e 5%. Vai ainda avançar com uma política de dividendos, com um objetivo de payout entre 30 a 40%. A recomendação será feita na assembleia geral de acionistas, marcada para 28 de maio, para a distribuição de um dividendo ordinário de 1,50 euros por ação relativo a 2019.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

1400 empresas já pediram para aderir ao novo lay-off, apoios só a 28 de abril

Algarve, Portugal. Fotografia: D.R.

Algarve lança campanha. “Fiquem em casa para regressarem com mais saudade”

Veículos da GNR durante uma operação stop de sensibilização para o cumprimento do dever geral de isolamento, na Autoestrada A1 nas portagens dos Carvalhos/Grijó no sentido Sul/Norte, Vila Nova de Gaia, 29 de março de 2020. MANUEL FERNANDO ARAÚJO/LUSA

Mais de 80 detidos e 1565 estabelecimentos fechados

Fnac. Receitas ibéricas atingem 722 milhões o ano passado