Fnac. Vendas online superiores ao Natal e marketplace com 30 novos vendedores

Empresas nacionais representaram mais de metade das vendas no marketplace da Fnac, tendo reforçado o número de aderentes nacionais.

A Fnac registou vendas online superiores ao Natal do ano passado no período de confinamento dos portugueses por causa da pandemia do covid-19, tendo o marketplace da cadeia de retalho especializado reforçado em três dezenas o número de vendedores nacionais.

"Os dias de confinamento levaram os portugueses a recorrerem muito mais à conveniência das compras online e registámos visitas e vendas superiores ao Natal de 2019, o que foi um teste de resistência aos nossos sistemas e equipas, que superámos com medidas de segurança reforçadas", adianta Paula Alves, diretora de ecommerce da Fnac Portugal, em declarações ao Dinheiro Vivo, sem adiantar os valores das vendas.

Leia ainda: Covid-19. Fnac estende prazo de cartões oferta e pontos

Com a declaração do Estado de Emergência em março a cadeia de retalho encerrou as suas lojas físicas, tendo esta semana, com o início da reabertura faseada da economia, reaberto as primeiras sete. Desde meados de março, a cadeia mantinha apenas o canal digital, com uma equipa dedicada (o restante pessoal entrou em lay-off).

Um crescimento nas compras online durante o período de confinamento que também se refletiu no marketplace, onde empresas terceiras fazem vendas usando a plataforma da Fnac. Para tal terá, certamente, contribuído o facto da pandemia do covid-19 ter levado ao encerramento das lojas de retalho que ficaram apenas com online disponível para o escoamento de produto.

"O marketplace acompanhou este crescimento e os vendedores portugueses distinguiram-se com taxas de crescimento ainda mais elevadas, passando a representar mais de metade das vendas, quando antes o primeiro lugar era ocupado por empresas europeias mas não portuguesas", revela Paula Alves.

Para esta alteração terá contribuído igualmente a campanha levada a cabo em abril pela Fnac para aumentar o número e empresas aderentes ao marketplace. A cadeia oferecia dois meses de 'renda' aos novos aderentes.

"Desde que lançámos a campanha de apoio ao comércio português tivemos 30 novos vendedores nacionais", adianta a diretora de ecommerce da Fnac Portugal.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de