Empresas

Fosun cria filial para o turismo e pede cotação em bolsa

Guo Guangchang, presidente do conselho de administração da Fosun, em conferência de imprensa realizada em Hong Kong. Fotografia: REUTERS/Bobby Yip
Guo Guangchang, presidente do conselho de administração da Fosun, em conferência de imprensa realizada em Hong Kong. Fotografia: REUTERS/Bobby Yip

Em Portugal, o grupo chinês detém a seguradora Fidelidade e a Luz Saúde, a maior participação no BCP e cerca de 5% da REN.

O grupo chinês Fosun, que detém várias empresas em Portugal, anunciou esta quinta-feira a constituição de uma filial para o setor do turismo, e solicitou a sua entrada na bolsa de Hong Kong.

Num comunicado enviado à praça financeira de Hong Kong, o grupo informa que recebeu aprovação dos reguladores para constituir uma nova filial, e que iniciou o processo para a sua cotação na bolsa, uma decisão que não depende da aprovação dos acionistas.

A empresa, que tem sede em Xangai, tem múltiplos investimentos nos setores da saúde, turismo, moda, imobiliário e banca.

Em Portugal, o grupo detém já a seguradora Fidelidade e a Luz Saúde, a maior participação no banco Millennium bcp e cerca de 5% da REN (Redes Energéticas Nacionais).

A sua nova filial, designada Fosun Tourism and Culture Group (FTC), é constituída a partir de uma divisão da empresa dedicada a “oferecer aos clientes experiências de turismo e lazer” e “está comprometida sobretudo com o desenvolvimento, gestão e oferta de produtos de viagem, entretenimento e outros serviços culturais”, lê-se no comunicado.

A filial estará ainda encarregue da gestão e operação de hotéis, resorts e destinos turísticos.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
José Vieira da Silva, ministro do Trabalho, e Mário Centeno, das Finanças. Fotografia: Mário Cruz/Lusa

Salário mínimo português é o nono mais baixo da Europa em poder de compra

Mario Draghi, presidente do Banco Central Europeu.  (EPA/RONALD WITTEK)

Compras do BCE chegam ao fim. Portugal ficou no fundo da lista

casas de lisboa

Moody’s. Há risco de irrealismo no preço das casas em Lisboa e Porto

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Fosun cria filial para o turismo e pede cotação em bolsa