Imobiliário

Franceses e chineses são os que mais compram casas em Lisboa

Lisboa_Ponte_Vasco_da_Gama DR

Na primeira metade de 2016, os estrangeiros adquiram 909 imóveis, quer de uso residencial quer comercial, na Área de Reabilitação Urbana de Lisboa.

Franceses e chineses. Estas são as duas nacionalidades que mantêm a liderança de estrangeiros a comprar casa na área urbana de Lisboa. Juntos representaram 50% das compras feitas por estrangeiros no mercado imobiliário da capital.

Os dados divulgados pela Confidencial Imobiliário revelam que, no primeiro semestre do ano passado, os estrangeiros compraram 909 imóveis na zona urbana de Lisboa. Estes imóveis tinham como destino quer o uso residencial quer comercial e renderam 1,7 milhões de euros.

Os chineses foram responsáveis por 25% das casas compradas por estrangeiros, e 29% do valor investido, já que apresentaram, neste período, um ticket médio de 489 mil euros aplicados por imóvel.

Do lado dos franceses, as compras representaram 23% dos 909 imóveis adquiridos por estrangeiros (à volta de 209 imóveis), levando 21% do investimento realizado.

No global, os europeus foram os mais ativos nas aquisições internacionais, comprando à volta de 470 dos imóveis em Lisboa, na primeira metade do ano. Os asiáticos têm ganho escala e evidenciam já um peso de 34%. Com uma representatividade menor estão os continentes Africano e Americano, cada um com cerca de 6% do total dos imóveis transacionados.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Paulo Azevedo, Chairman e Co-CEO da Sonae, e Ângelo Paupério, Co-CEO da Sonae.

(Leonel de Castro / Global Imagens)

Sonae SPGS com lucros de 200 milhões até setembro

Veículos estacionados no porto de Setúbal, durante a greve dos estivadores precários, em Setúbal, 14 de novembro de 2018. Em causa está um diferendo laboral desencadeado por um grupo de estivadores precários e a empresa de trabalho portuário Operestiva, que afeta várias empresas, entre as quais a Autoeuropa. ANDRÉ AREIAS/LUSA

Setúbal: Operestiva disposta a negociar se estivadores voltarem ao trabalho

Primeira-ministra Theresa May, 14 de novembro de 2018. EPA/FACUNDO ARRIZABALAGA

Brexit: May consegue apoio do Governo e aprova rascunho do acordo final

Outros conteúdos GMG
Franceses e chineses são os que mais compram casas em Lisboa