Telecomunicações

Fraudes telefónicas. Um Manual de Instruções para se proteger

fraude

Como saber se está a ser vítima de uma burla telefónica? Rui Paiva, CEO da WeDo Technologies, que explica quais as burlas mais frequentes

Desde meados de julho que muitos consumidores portugueses receberam chamadas com indicativos internacionais com origem na Polónia, Tunísia e Mónaco. Recebem dois toques e se responderem à chamada é-lhes cobrado o valor de uma chamada internacional, normalmente, de destinos internacionais mais caros.

O caso, noticiado pelo Dinheiro Vivo, é uma das formas mais comuns de burla através dos telefones, mas há mais. Rui Paiva, CEO WeDo Technologies, empresa que tem uma aplicação que combate as fraudes telefónicas, explica os contornos da fraude que afetou recentemente os consumidores nacionais e descreve algumas outras burlas frequentes com recurso às telecomunicações.


Leia ainda: Dois toques de um número desconhecido? Não devolva, é burla


A primeira forma de se proteger, de proteger a sua fatura e os seus dados, é aprender a identificar as burlas. Fique a conhecer quais as mais frequentes e como não cair nessa armadilha que lhe pode custar caro no final do mês.

 

Rui Paiva, CEO da WeDo Technologies

Rui Paiva, CEO da WeDo Technologies

Leia aqui na íntegra a análise de Rui Paiva, da CEO WeDo Technologies.

“Fraude telefónica: Um Manual de Instruções
Certamente que nos últimos dias terá ouvido falar bastante de fraude telefónica. Se porventura a descartou como mais um tópico alarmista, deixe-me alertá-lo para a seriedade do tema. Este tipo de fraudes dá-se pelo nome de International Revenue Share Fraud (IRSF). O que, no fundo, significa fraude internacional de partilha de lucro.
Que lucro?

Pois que cada vez que o caro leitor atende uma chamada suspeita, com um indicativo internacional, arrisca-se a pagar no destino essa mesma chamada. O dinheiro que pagou, caso seja um caso de IRSF, não segue para a operadora, mas sim para os detentores do esquema fraudulento.
Portanto, é natural questionar como se defender, como é que acontece, quem sai prejudicado. Aqui estão algumas questões recorrentes para que possa defender-se da melhor forma – com conhecimento.

Como me proteger?
Infelizmente, se o seu caso estiver na posição do consumidor-final, apenas tem uma forma de se defender. Não deverá, sob nenhum pretexto, aceitar chamadas de números estranhos – como por exemplo um 0900xx. Da mesma forma, não deverá ligar de volta para números não atendidos que sejam semelhantes ao exemplo anterior. O mesmo acontece com os SMS fraudulentos.

E a minha operadora?
Este tipo de esquemas fraudulentos não afectam apenas os consumidores. Longe disso. As operadoras são também vítimas destes ataques. De tal forma que as perdas de receitas agregadas a estes casos representam mais de 10 mil milhões de dólares anualmente.
Mas pode a minha operadora defender-me?
Nim. Consegue defender, se tiver implementado sistemas de deteção de fraude que bloqueiam a chamada a partir de números identificados como fraudulentos. Contudo, a nível legal, as operadoras móveis não podem ser responsabilizadas pelas perdas que os consumidores possam ter nestas situações, dado que também elas incorrem em perdas e outras litigâncias com parceiros.
Como funciona a fraude, ao certo?
Os fraudsters (pessoas que praticam este tipo de fraude) estão a viver e a operar de forma muito organizada por todo o mundo. Prova disso, é o IRSF e a forma mais actual de como esse acontece: os Fraudsters roubam números de tarifas premium em países de alto risco e disfarçam-nos para países onde o código internacional é mais legítimo.

As equipas de fraude dos operadores de telecomunicações estão a monitorizar os países destinatários das chamadas fraudulentas que são feitas e, à medida que têm conhecimento desses números fraudulentos, os mesmos são bloqueados. Infelizmente, estes números variam e vão-se alterando de forma muito regular, tornando o seu tracking extremamente difícil.
Caí na fraude. Como consigo reaver o meu dinheiro?
O IRSF é um problema mundial e de proporções enormes para a Indústria, que ainda gere e controla a deteção e resolução com dificuldade. A não ser que os países comecem a trabalhar, juntos na aplicação de legislação local, este problema continuará a persistir. É extremamente difícil identificar e distinguir quem são os portadores (carriers) de telecomunicações legítimos, dos ilegítimos e fraudulentos. Infelizmente, a complexidade envolvida no processo torna a tarefa, de selecionar e pagar apenas aos operadores legítimos, quase impossível.

Neste momento, e apesar da existência de soluções tecnológicas capazes de ajudar as operadoras a identificar números potencialmente fraudulentos, a precaução do consumidor é a melhor ferramenta. Assim que é fulcral não atender números desconhecidos, principalmente se parecerem internacionais. Nunca saberá se está a uma chamada de cair num esquema fraudulento.

Outras fraudes telefónicas frequentes

1. Wangiri (o utilizador recebe um toque e nem dá para atender. Liga-se ao número e aí é que está o ganho)

2. Smishing – Phishing através de SMS

Há vários tipos de fraude cometidas através do envio de SMS. Fique alerta para as mais comuns.

*O utilizador pode ser enganado ao lhe ser pedido para responder a um SMS, desbloqueando uma chave, um código ou algo do género. Essa troca de SMS tem custo para o utilizador. (IRSF);
*O utilizador poderá receber uma mensagem do género: “Para ler a mensagem recebida clique aqui” e aparece um link (URL) que o levará a um site falso, aumentando o tráfego a esse site. Isto já não é considerado IRSF, sendo que o utilizador não tem custos em receber o SMS, nem em seguir o link, caso esteja em zona Wifi. Mas existe sempre o perigo de este mesmo clique no URL, permitir a instalação silenciosa de malware (software malicioso) no telemóvel.
Uma vez instalado esse malware, poderá haver roubo de todos os dados do telemóvel e dos diversos perfis do utilizador que serão passados à equipa que está a cometer a fraude. Existe também malware que envia SMS de forma automática para números de valor acrescentado sem o conhecimento do utilizador (cliente).
* Outro exemplo, que não é considerado IRSF mas continua a ser burla, é ser-se encaminhado para um site, onde tem uma mensagem aliciante (ganhe uma viagem, lotaria, etc) e, para isso, ter de deixar os seus dados. Esses dados, provavelmente, serão vendidos, utilizados para muitas outras situações e poderão também ser roubados (roubo de identidade))

3. (IP) PBX – PBX (Private Branch Exchange)

É uma das fraudes mais antigas da indústria de telecomunicações. Agora mais baseado em IPs, tanto in-house (dentro da empresa), como na cloud (nuvem), este tipo de fraude é feita através de uma entrada forçada (hacked entrance) no sistema telefónico do PBX de uma empresa ou organização.

A partir do momento que se tem acesso ao IP PBX dessa mesma entidade, a entidade que comete a fraude faz chamadas ilimitadas. Estas chamadas são feitas, na generalidade, para números falsos de valor acrescentado, onde beneficiam dos pagamentos que têm de ser feitos aos carriers pelas operadoras.

Muitas vezes, o consumidor/utilizador do telefone, só se apercebe disto quando recebe a sua conta no final do mês, também conhecido por Bill Schock. A esta altura já a entidade fraudulenta tem o dinheiro e desapareceu, deixando a operadora e o cliente final para discutir quem paga o quê.

Os fraudadores optam por usar o período noturno e do fim de semana para efetuarem os maiores ataques informáticos, dado serem os momentos em que a grande maioria das organizações não estão tão alerta nem se apercebem do que está a acontecer.”

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Ilustração: Vítor Higgs

Indústria têxtil em força na principal feira de Saúde na Alemanha

O Ministro das Finanças, João Leão. EPA/MANUEL DE ALMEIDA

Nova dívida da pandemia custa metade da média em 2019

spacex-lanca-com-sucesso-e-pela-primeira-vez-a-nave-crew-dragon-para-a-nasa

SpaceX lança 57 satélites para criar rede mundial de Internet de alta velocidade

Fraudes telefónicas. Um Manual de Instruções para se proteger