Telecomunicações

Fusão entre Orange e Bouygues chega ao fim

Negociações entre operadores franceses de telecomunicações Bouygues Telecom  e Orange terminaram ao fim de três meses. Fotografia: Jean-Paul Pelissier/Reuters
Negociações entre operadores franceses de telecomunicações Bouygues Telecom e Orange terminaram ao fim de três meses. Fotografia: Jean-Paul Pelissier/Reuters

Telecom francesas estão a cair mais de 10% após o fim das negociações

Nem chegou a haver fim de semana de ‘tudo ou nada’ na fusão entre a Orange e a Bouygues Telecom. Terminaram na sexta-feira à noite as negociações entre as duas operadoras francesas, após três meses de conversas. A operação estava avaliada em 10 mil milhões de euros. O impasse entre o ministro da Economia, Emmanuel Macron, e o dono da Bouygues, Martin Bouygues, terá contribuído para o fim das negociações.

“As duas principais razões para o falhanço das negociações foram os riscos de execução e a atitude do Governo francês”, indicou uma fonte próxima do processo à agência Reuters. Esta era considerada a última oportunidade para uma consolidação no mercado de telecomunicações de França, o que está a levar a fortes quebras das telecom francesas na Bolsa.

Os títulos da Bouygues cedem 15,13% para os 29,82 euros, logo seguida pela Illiad, que cede 13,76% para 193 euros, pela Altice, dona da PT Portugal, que cai 13,62% para os 13,48 euros, e a Orange, que perde 4,45% para 14,71 euros

A concretizar-se, a operação representaria uma nova consolidação no mercado de telecomunicações em França, de quatro para três. Em junho do ano passado uma consolidação em França foi vista com alguma preocupação pelo ministro da Economia francês quando se discutiu a oferta da Altice sobre a Bouygues.

Mas, no mês passado, Emmanuel Macron já admitia não se opor a novos negócios no sector. Uma possível fusão implica também a venda de ativos para obter a aprovação das autoridades da concorrência em França.

O modelo da fusão entre as duas empresas poderá fazer com que a dona da PT, a Altice, de Patrick Drahi, compre o negócio da rede fixa e os clientes móveis da Bouygues e pelo qual estará disposto a pagar 4 mil milhões de euros, escreveu o Financial Times a 17 de março.

Outros ativos da Bouygues, como antenas, frequências e rede de lojas deverão ser comprados pela Iliad de Xavier Niel, que deverá avançar com uma proposta na ordem de 2 mil milhões de euros.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Boris Johnson, primeiro-ministro do Reino Unido REUTERS/Henry Nicholls - RC12D8BECE70

Boris Johnson ganha eleições britânicas com maioria absoluta

Trump Xi China

Trump assina acordo inicial com China para evitar tarifas

António Mexia, CEO da EDP. Fotografia: REUTERS/Pedro Nunes

EDP processa o Estado. Elétrica exige 717 milhões de euros

Outros conteúdos GMG
Fusão entre Orange e Bouygues chega ao fim