Tecnologia

Atenção. Se usa o WhatsApp, atualize-o já

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

O WhatsApp está a encorajar os seus utilizadores a atualizarem a app, depois de ter sido detetado malware no serviço de troca de mensagens.

Foi detetada uma nova vulnerabilidade no WhatsApp, que pode chegar através de uma simples chamada. Por isso mesmo, é aconselhável que os utilizadores do serviço de troca de mensagens atualizem a aplicação.

A vulnerabilidade foi detetada no final de agosto e partilhada no Google Project Zero, onde investigadores trocam informação sobre malware e resoluções de bugs. Esta vulnerabilidade pode afetar tanto utilizadores de Android como iOS – a versão web do WhatsApp não teve qualquer tipo de problemas, pelo menos segundo os investigadores do Google Project Zero.

Leia também | 10 erros que vai querer evitar no WhatsApp

Uma chamada de vídeo, aparentemente inofensiva, feita através do WhatsApp, poderia dar acesso a um ‘hacker’, que passaria a ter controlo de várias funcionalidades das contas do WhatsApp. Meios como o ZDNet, que citam vários investigadores, referem que se tratava de “um bug na memória”, que criava uma espécie de porta aberta para os hackers; enquanto isso, a chamada utilizada um protocolo específico, RTP (real-time transport protocol)

Entretanto, a vulnerabilidade já foi corrigida pelos programadores do serviço, disponibilizada em diferentes datas para os utilizadores de Android e iOS. Para evitar quaisquer transtornos, é aconselhável que os utilizadores atualizem o WhatsApp para a versão mais recente.

Leia também | Facebook já estará a testar anúncios no WhatsApp

Veja mais sobre tecnologia em insider.dn.pt

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.
Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
psp

Governo prevê poupar 3 milhões com fardas de militares e polícias

António Costa, primeiro-ministro, e Mário Centeno, ministro das Finanças. Fotografia: Maria João Gala / Global Imagens

Gastos com gabinetes sobem quase 2%

Pequim gostaria de trabalhar com Washington

Portugal e China discutem comércio e investimento em Pequim

Outros conteúdos GMG
Atenção. Se usa o WhatsApp, atualize-o já