Cerveja Artesanal

Dois Corvos abre asas para mercado externo com nova fábrica em Braço de Prata

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Cervejeira investiu mais de 200 mil euros na nova unidade no Braço de Prata e no Tap Room em Marvila

A Dois Corvos quer em dois três anos ter 20% das vendas da cerveja artesanal oriundas do mercado internacional. A cervejeira tem uma nova unidade de produção no Braço de Prata, onde investiu mais de 200 mil euros, permitindo-lhes duplicar a capacidade de produção.

“Atualmente a nossa produção atinge os 2.000 hectolitros anuais e com a inauguração da nova fábrica duplicamos a nossa capacidade de produção instalada, o que nos permite responder de forma mais robusta às necessidades do mercado”, adianta Susana Cascais, co-fundadora e gerente da Dois Corvos, ao Dinheiro Vivo. “Este novo espaço dá-nos ainda abertura para incrementar o desenvolvimento de produções especiais e sazonais uma vez que os equipamentos agora disponíveis nos dão liberdade para desenvolver mais ensaios e investigação”, continua.

O projeto Dois Corvos teve início em 2013, mas só em 2015 lançaram as primeiras cervejas. Hoje têm um portefólio de sete referências permanentes, inúmeras edições especiais e acabam de lançar a sua primeira Pilsner, Prata, dirigida ao mercado nacional. “Em apenas 4 anos criámos mais de 100 receitas diferenciadoras e disponibilizamos uma variada produção de IPAs, Stouts, Cervejas Envelhecidas em barricas e até fermentações com leveduras selvagens”, descreve.

Dois Corvos

A primeira produção arrancou numa unidade fabril em Marvila, mesmo ao lado do Tap Room da marca que hoje tem 17 torneiras. A nova fábrica instalou-se no Braço de Prata, a 1500 metros do Tap Room. Com 1700 metros quadrados, integra a zona de produção (brassagem, fermentação, engarrafamento e embarrilamento) e armazenamento. “O investimento realizado nesta nova realidade Dois Corvos – nova fábrica em Braço de Prata e manutenção do Tap Room – foi de mais de 200 mil euros”, revela Susana Cascais.

Uma nova capacidade de produção que não só vai dar músculo de resposta ao mercado nacional, como permite à cervejeira dar passos mais ambiciosos no mercado externo. O ano passado a Dois Corvos fechou com vendas de 200 mil litros, uma subida de 50% face aos resultados obtidos em 2017.

“Para 2019, e sendo este um ano de investimento para a Dois Corvos, prevemos vendas ligeiramente superiores às obtidas em 2018. Embora durante todo este ano tenhamos assistido a uma procura crescente, a concretização da nova unidade fabril apenas ficou terminada no final do primeiro semestre o que fez com que ainda não tenhamos colhido os frutos da nova unidade produtiva. Neste momento podemos dizer que já conseguimos adequar a produção à nova realidade e produzir de forma regular e constante, pelo que prevemos um impacto efetivo nas vendas em 2020”, estima a gerente.

Version 2

 

No mercado nacional, a Dois Corvos está presente em mais de 250 pontos de venda, estando ainda disponível na grande distribuição, “embora com um leque mais limitado de cervejas”, nas cadeias da Sonae, Auchan e Jerónimo Martins.

Desde 2016 que a cervejeira iniciou o seu projeto de internacionalização, tendo hoje clientes em mais de de de uma dezena de países. Presença que a marca quer reforçar. “No âmbito do Portugal 2020 a Dois Corvos tem vindo a desenvolver e a aprofundar o mercado de exportação com o objetivo de atingir, dentro de 2 / 3 anos, 20% de vendas em mercados internacionais”, adianta. “Neste momento temos clientes em mais de 13 países europeus e a nossa intenção é alargar a oferta da gama nos mercados para onde já exportamos (França, Itália, Dinamarca, Holanda, Bélgica, Espanha e Áustria) e dar fôlego à operação em outros mercados europeus com grande potencial de consumo, mas onde ainda temos uma presença diminuta, como por exemplo, Reino Unido e Alemanha.”

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.
Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa (E), conversa com o ministro de Estado e das Finanças, Mário Centeno (D), durante o debate parlamentar de discussão na generalidade do Orçamento do Estado para 2020 (OE2020), esta tarde na Assembleia da República, em Lisboa, 09 de janeiro de 2020. MIGUEL A. LOPES/LUSA

Subida do PIB em 2019 chega aos 2,2% com revisão nas exportações de serviços

Foto - Leonardo Negrao

Deco: seguros de saúde não cobrem coronavírus, seguros de vida sim

Foto: D.R.

Easyjet. Ligações de Portugal com Itália não serão afetadas, por enquanto

Dois Corvos abre asas para mercado externo com nova fábrica em Braço de Prata