mobilidade

Flash. Quem estacionar bem as trotinetes vai pagar menos

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Empresa alemã é a sexta operadora de partilha de trotinetes em Lisboa. Aposta em veículos com mais estabilidade.

A Flash é a sexta marca a partilhar trotinetes elétricas em Lisboa. A empresa alemã de micromobilidade está a testar o mercado nas zonas de Belém e Parque das Nações com veículos pretos decorados com a frase this is not a scooter. Os descontos nas viagens para premiar quem estacionar bem as trotinetes e o uso de veículos mais estáveis e fáceis de utilizar são as formas encontradas para a Flash destacar-se da concorrência

“Vamos ter um incentivo financeiro para quem estacionar corretamente as trotinetes. Esperamos resolver boa parte do mau estacionamento com esta medida”, nota Felix Petersen, diretor-geral da Flash para o mercado português ao Dinheiro Vivo. A fase de testes desta operadora vai decorrer até quinta-feira, dia 31, e apenas serão cobrados 10 cêntimos por cada minuto de viagem – não irá pagar por pegar na trotinete. A partir daí, será seguido o formato da concorrência: um euro por usar a trotinete, mais 15 cêntimos por minuto de viagem.

A aplicação está disponível através das lojas Google Play e App Store com o nome “This is Not a Scooter” até 31 de janeiro. A partir de 1 de fevereiro, a aplicação passará a designar-se Flash, através de uma atualização.

A marca fundada em Berlim também conta com as próprias trotinetes: têm pneus mais altos e largos, mais espaço para colocar os pés, três modos de velocidade, aceleração mais progressiva e maior travagem. Esta solução garante mais segurança para os utilizadores e maior resistência ao vento e aos pisos empedrados.

Trotinete da Flash à frente da concorrência: Lime, Hive, Tier e Voi. Apenas a Bungo não está representada nesta imagem. ( Jorge Amaral/Global Imagens )

Trotinete da Flash à frente da concorrência: Lime, Hive, Tier e Voi. Apenas a Bungo não está representada nesta imagem. ( Jorge Amaral/Global Imagens )

Ao contrário da concorrência, que recorre a uma comunidade de utilizadores, as trotinetes da Flash serão recolhidas ao final da noite por uma empresa de logística. Desta forma, “garantimos todos os dias que estas trotinetes não regressam às ruas com problemas mecânicos ou falta de bateria”, defende Felix Petersen.

Com financiamento de 55 milhões de euros, a Flash conta com uma equipa fixa de quatro pessoas em Lisboa e vai expandir o serviço para Espanha, França e Itália até ao final do primeiro trimestre.

Em Lisboa, a Flash vai contar com a concorrência de cinco empresas: Lime, Hive, Voi, Tier e Bungo. E há mais 15 entidades que já mostraram interesse, oriundas de Portugal, EUA, Europa e até uma empresa da América do Sul, segundo o vereador da Mobilidade do município, Miguel Gaspar.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.
Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

Página inicial

REUTERS/Stephen Lam/File Photo

Moedas como Libra do Facebook podem diminuir poder dos bancos centrais

Outros conteúdos GMG
Flash. Quem estacionar bem as trotinetes vai pagar menos