aviação

Joon. Irmã mais nova da Air France chega a Lisboa e Porto a partir de 39 euros

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

A Joon começa a voar em dezembro na Europa e chega ao Brasil e às Seychelles em Junho.

É já no primeiro dia de dezembro que os aviões da Joon começam a aterrar em Lisboa e no Porto.

A nova companhia aérea do grupo Air France, que foi apresentada esta segunda-feira em Paris, terá bilhetes a partir de 39 euros. E escolheu Portugal como o seu principal destino.

Criada de raiz para seduzir os millennials, terá nos primeiros tempos um número limitado de rotas. Além de Lisboa e Porto, a “irmã mais nova da Air France” irá voar para Barcelona e Paris. Sempre a partir do aeroporto Charles de Gaule em Paris.

Só a partir de março do próximo ano é que a Joon vai aventurar-se em voos mais altos. Os primeiros destinos de longo curso serão Fortaleza, no Brasil, duas vezes por semana, e Mahé, nas ilhas Seychelles, com três voos semanais.

Também aqui a Joon quer piscar o olho a um público “jovem, flexível e descontraído”, com uma política de preços “muito atrativa”. À semelhança do que fazem companhias como a Norwegian, a empresa francesa propõe atravessar o oceano por menos de 300 euros.

Chegar ao Brasil vai custar no mínimo 249 euros, enquanto as Seychelles estarão à distância de uma tarifa mínima de 299 euros.

“Queremos criar o código da nova geração no que diz respeito às viagens aéreas. Temos a mentalidade de uma startup”, sublinhou o diretor-geral da companhia, Jean-Michel Mathieu, durante a conferência de imprensa de apresentação da companhia.

Segundo o responsável, a nova marca da Air France quer distinguir-se no mercado como uma combinação entre o low cost e o clássico, com o objetivo de ser “acessível para todos”.

O “laboratório de inovação” francês incluirá comida e bebida orgânica para todos os passageiros, um portal que terá disponível séries e programas de televisão e a possibilidade de pagar menos se viajar com pouca bagagem. Todos os lugares terão uma entrada USB para carregar os dispositivos móveis.

O azul eléctrico que é a imagem de marca da companhia estende-se aos uniformes do pessoal de cabine, “embaixadores do espírito Joon” que pela primeira vez irão usar ténis.

A Joon planeia ter 28 aviões até 2020. Já em 2019 a frota será composta pelo modelo A350 da Airbus e terá wifi a bordo. Nas viagens de longo curso, a experiência vai incluir óculos de realidade virtual.

Os voos serão operados pelos pilotos da Air France mas haverá 140 contratações para pessoal de cabine. Os bilhetes estão à venda a partir de hoje.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.
Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Caixa Geral de Dep—ositos -

Sete dos créditos de risco da CGD tiveram perdas de 100%

(Rui Oliveira / Global Imagens)

Quota de mercado dos carros a gasóleo cai para mínimos de 2003

Operadores da Groundforce onde a operação da empresa de ‘handling’ Groundforce inclui números como cinco minutos e 400 toneladas, mas também o objetivo de chegar ao fim de 2019 com 3.600 colaboradores, aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, 22 de janeiro de 2018. Para que os aviões estejam no ar, a Groundforce faz toda a assistência em terra, excetuando o fornecimento de comida e de combustível, como resume o presidente executivo da empresa, Paulo Neto Leite, numa visita guiada aos ‘bastidores’ do Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa. MÁRIO CRUZ/LUSA

Com o aeroporto de Lisboa “no limite”, Groundforce exige à ANA que invista já

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Joon. Irmã mais nova da Air France chega a Lisboa e Porto a partir de 39 euros