Retalho Alimentar

Mercadona. Marcelo visita loja do Canidelo em véspera de abertura de Matosinhos

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Esta terça-feira abriu em Matosinhos (foto abaixo) a segunda das 10 lojas que a Mercadona pretende abrir este ano, sobretudo na região Norte.

Setes dias depois da abertura do supermercado da Mercadona em Portugal e na véspera da abertura da segunda loja em Matosinhos, Marcelo Rebelo de Sousa visitou ontem a loja de Canidelo.

O Presidente da República já tinha recebido o presidente da retalhista alimentar espanhola, Juan Roig, que foi apresentar a Marcelo Rebelo de Sousa o projeto da Mercadona para Portugal. Agora, depois da visita do Ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, no passado dia 2 de julho, foi a vez do Presidente ir a Canidelo, Vila Nova de Gaia, para conhecer o projeto que marca a primeira internacionalização da cadeia alimentar espanhola.

“Ao longo da visita, o Presidente Marcelo Rebelo de Sousa mostrou-se surpreendido com o investimento feito pela empresa num tão curto espaço de tempo, fazendo referência ao emprego criado e à perspetiva de abertura de lojas para os próximos anos”, informa a cadeia em nota enviada às redações.

Mercadona abre supermercado em Matosinhos

Esta terça-feira abriu em Matosinhos (foto abaixo) a segunda das 10 lojas que a Mercadona pretende abrir este ano, sobretudo na região Norte. No próximo ano, a empresa quer abrir mais 10, para um total de entre 150 a 200 lojas. Este ano, a cadeia pretende investir 100 milhões de euros, a juntar aos 160 milhões que já investiu entre 2016 e 2018.

Foto 2

A companhia construi já um centro logístico em Matosinhos, bem como um centro de coinovação, estando nesta fase já à procura de parcelas para a construção de um centro na zona sul, preparando a expansão a sul.

Com atualmente 900 trabalhadores, a empresa conta chegar ao final do ano com 1100.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.
Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Caixa Geral Depósitos CGD Juros depósitos

Caixa perdeu 1300 milhões com créditos de grandes devedores

Ursula von der Leyen foi o nome nomeado para presidir à Comissão Europeia. (REUTERS/Francois Lenoir)

Parlamento Europeu aprova Von der Leyen na presidência da Comissão

Christine Lagarde, diretora-geral demissionária do FMI. Fotografia: EPA/FACUNDO ARRIZABALAGA

Christine Lagarde demite-se da liderança do FMI

Outros conteúdos GMG
Mercadona. Marcelo visita loja do Canidelo em véspera de abertura de Matosinhos