Retalho Alimentar

Mercadona. Marcelo visita loja do Canidelo em véspera de abertura de Matosinhos

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Esta terça-feira abriu em Matosinhos (foto abaixo) a segunda das 10 lojas que a Mercadona pretende abrir este ano, sobretudo na região Norte.

Setes dias depois da abertura do supermercado da Mercadona em Portugal e na véspera da abertura da segunda loja em Matosinhos, Marcelo Rebelo de Sousa visitou ontem a loja de Canidelo.

O Presidente da República já tinha recebido o presidente da retalhista alimentar espanhola, Juan Roig, que foi apresentar a Marcelo Rebelo de Sousa o projeto da Mercadona para Portugal. Agora, depois da visita do Ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, no passado dia 2 de julho, foi a vez do Presidente ir a Canidelo, Vila Nova de Gaia, para conhecer o projeto que marca a primeira internacionalização da cadeia alimentar espanhola.

“Ao longo da visita, o Presidente Marcelo Rebelo de Sousa mostrou-se surpreendido com o investimento feito pela empresa num tão curto espaço de tempo, fazendo referência ao emprego criado e à perspetiva de abertura de lojas para os próximos anos”, informa a cadeia em nota enviada às redações.

Mercadona abre supermercado em Matosinhos

Esta terça-feira abriu em Matosinhos (foto abaixo) a segunda das 10 lojas que a Mercadona pretende abrir este ano, sobretudo na região Norte. No próximo ano, a empresa quer abrir mais 10, para um total de entre 150 a 200 lojas. Este ano, a cadeia pretende investir 100 milhões de euros, a juntar aos 160 milhões que já investiu entre 2016 e 2018.

Foto 2

A companhia construi já um centro logístico em Matosinhos, bem como um centro de coinovação, estando nesta fase já à procura de parcelas para a construção de um centro na zona sul, preparando a expansão a sul.

Com atualmente 900 trabalhadores, a empresa conta chegar ao final do ano com 1100.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.
Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Foto: REUTERS/Rafael Marchante

Portugal entre os países europeus que ficaram mais desiguais

Foto: REUTERS/Rafael Marchante

Portugal entre os países europeus que ficaram mais desiguais

Angel Gurria, secretário-geral da OCDE. Fotografia: EPA/Mario Guzmán

OCDE mais pessimista. Sinais vermelhos para a economia

Outros conteúdos GMG
Mercadona. Marcelo visita loja do Canidelo em véspera de abertura de Matosinhos