sapatos

Onofre. Loja online já vende mais que Av. da Liberdade

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Vendas online chegam a superar as da loja da Avenida da Liberdade

Lançada nos primeiros dias de fevereiro, a loja online de Luís Onofre é já um sucesso. As vendas estão a correr tão bem que houve mesmo uns dias em que a loja online vendeu mais do que o espaço de Luís Onofre na Avenida da Liberdade, em Lisboa.

“Estamos a vender muito bem”, confessa Luís Onofre ao Dinheiro Vivo, embora reconheça que este é um projeto que está, ainda, em fase “muito embrionária”. E, por isso, o estilista recusa, para já, fazer um balanço muito pormenorizado, remetendo para daqui por um ou dois meses. “Praticamente temos uma semana ou duas de funcionamento apenas, porque tivemos um problema técnico relacionado com o IVA que tivemos de retificar e nos obrigou a fechar o site durante uns dias. O que é um prejuízo brutal, mas foi necessário”, explica.

Alojada no site da marca de calçado criada em 1999 pelo estilista nortenho, a nova loja online permite adquirir as coleções a partir de qualquer parte do mundo. Mas não só. É possível contactar diretamente com a história da marca, em the brand & campaigns, bem como conhecer a sua comunidade de seguidores – galeria instalove – onde todos podem partilhar as suas experiências com os acessórios Luis Onofre através de #luisonofre.

Leia também Armando Cabral. O supermodelo que adora sapatos

“Hoje, qualquer marca global tem de ter um comércio online. Mesmo as marcas de sapatos, cuja experiência de compra é mais particular e imediata, registam um crescimento absoluto nessa área. Quem conhece a marca e confia no seu produto tem a garantia de credibilidade do site oficial e quem não conhece pode contactar-nos de forma mais imediata”, afiança Luís Onofre.

E embora não tenha, ainda, dados que permitam avaliar em plenitude o projeto, acredita que “tem tudo para dar certo”. “Temos tido muitas visitas e comentários bastante bons. O maior número de pedidos tem sido da Ilha da Madeira, se calhar porque a marca não está lá representada, mas, também, de Espanha”, refere Onofre, que assume: “O comércio online é muito mais complicado que uma loja física.

A intenção é associar a loja online “a outros sites de vendas importantes”, mas não avança, para já, com nomes.

Recorde-se que Luís Onofre abriu a sua primeira loja na Avenida da Liberdade, em Lisboa, em janeiro de 2014. Um espaço que sofre, neste momento, o efeito da crise em Angola. “Portugal abrandou um bocadinho por efeito do fator Angola. Tivemos uma redução de quase 90% dos visitantes angolanos, o que é uma questão séria. Mas temos tido também coisas boas. O crescimento do turismo fez com que tenhamos sido ‘invadidos’ por franceses que nos fizeram um ano espetacular”, diz Onofre.

Leia também A China é o país que mais caro paga pelos sapatos portugueses

“Para breve”, garante, está a abertura de uma loja Luís Onofre no estrangeiro. Mas recusa entrar em pormenores, quer de prazos quer de localização. “Estamos bem encaminhados, mas não quero falar antes das coisas estarem concretizadas”, sublinha. Há vários anos que Onofre tem planos para abrir um espaço da marca em Luanda, mas não só. A Colômbia é outro dos mercados identificado e onde chegou a ter parceiro local identificado.

No mercado nacional, a vontade de ter um espaço próprio no Porto é assumido já há vários anos. No entanto, a “indefinição” da cidade quanto às suas zonas comerciais, ao contrário de Lisboa que tem na Avenida da Liberdade o expoente de todos os luxos, leva-o a ir adiando o projeto.

Leia também Calçado à caça de talentos

“O comércio no Porto divide-se entre a Baixa e a zona do Avis, na Boavista, está tudo muito indefinido. Embora haja a Avenida dos Aliados que tem todo o potencial para vir a ser uma grande artéria de comércio de luxo”, diz, elogiando a opção da Fashion Clinic de aí ter instalado um dos seus espaços.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.
Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro ministro, António Costa, fala aos jornalistas durante a conferência de imprensa realizada no final da reunião do Conselho de Ministros, no Palácio da Ajuda, em Lisboa, 04 de junho de 2020. MANUEL DE ALMEIDA / POOL/LUSA

Governo vê economia a crescer 4,3% em 2021 e desemprego nos 8,7%

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, durante a conferência de imprensa após a reunião extraordinária da Comissão Permanente de Concertação Social por video-chamada, no Ministério da Economia, em Lisboa, 16 de março de 2020. RODRIGO ANTUNES/LUSA

Segunda fase do lay-off custa mais de 700 milhões de euros

Jorge Rocha de Matos, presidente da Fundação AIP. Foto: direitos reservados

Rocha de Matos: IVA devia ser de 6% em todos os eventos para ajudar o turismo

Onofre. Loja online já vende mais que Av. da Liberdade