mercado automóvel

Portugueses compraram menos carros pelo terceiro mês consecutivo

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Mercado automóvel recuou 9,4% em novembro, na comparação com o mesmo mês de 2017. Vendas de veículos ligeiros são as que mais caem.

Os portugueses compraram menos carros pelo terceiro mês consecutivo. As vendas de automóveis ligeiros caíram 12,3% em novembro, face ao período homólogo de 2018. Foram registados 15.466 veículos ligeiros no último mês, segundo a informação adiantada esta segunda-feira pela ACAP – Associação Automóvel de Portugal. No total, o mercado automóvel recuou 9,4% em novembro.

Renault, Peugeot e Mercedes foram as três marcas que mais venderam carros em novembro. A Renault liderou o mercado mesmo tendo registado uma quebra de 25,1% no último mês; a Peugeot também registou uma diminuição de 2,5%; a Mercedes registou uma melhoria de 2,3% em novembro.

A contar desde janeiro, a Renault é a marca mais vendida em Portugal, seguida da Peugeot e da Mercedes. Enquanto as duas marcas francesas têm aumentado as suas vendas desde o início do ano, os alemães registam uma quebra de 1,1%.

As quebras do mercado estendem-se às marcas de luxo: só a Ferrari e a Bentley venderam um veículo cada em novembro; Aston Martin e Lamborghini e Maserati ficaram a zero. A Jaguar registou 47 carros em novembro, o mesmo número do mesmo mês de 2017.

O mercado automóvel português continua a corrigir dos fortes aumentos de vendas registados em julho e agosto e que anteciparam a entrada em vigor, em setembro, na nova norma de medição de emissões (WLTP).

Setembro marcou a entrada da nova norma de emissões WLTP, que prevê consumos e valores de emissões mais realistas. As marcas temiam um aumento generalizado do preço dos automóveis novos a partir de 1 de setembro, mas tal não aconteceu porque o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, António Mendonça Mendes, deu instruções à Autoridade Tributária (AT) para alterar as tabelas de impostos aplicadas aos automóveis e neutralizar o efeito da entrada da nova norma de emissões (WLTP). O Orçamento do Estado para 2019 contempla esta situação.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.
Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O governador do Banco de Portugal, Carlos Costa. (Fotografia: Mário Cruz/ Lusa)

Carlos Costa: “Não participei nos 25 grandes créditos que geraram perdas” à CGD

Pedro Granadeiro / Global Imagens

Reclamações. Anacom acusa CTT de divulgar informação enganosa

Paulo Macedo, presidente da CGD

CGD cumpre “com margem significativa” requisitos de capital do BCE

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Portugueses compraram menos carros pelo terceiro mês consecutivo