Taxistas

Táxi ou Uber? Os portugueses não têm dúvidas

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Estudo da Eurosondagem mostra satisfação com o serviço da Uber e com a tecnologia ao serviço da mobilidade.

Táxi ou Uber? Os portugueses ouvidos pela Eurosondagem não têm dúvidas. A maioria dos lisboetas e dos portuenses quer que a Uber continue a operar em Portugal.

Os dados recolhidos nos dias 25, 26 e 27 de abril através de 1025 entrevistas telefónicas mostram que uma grande maioria dos residentes em Lisboa e Porto gostam do serviço da Uber e querem que a empresa de transportes se mantenha a operar em Portugal, além disso, os resultados apontam para uma satisfação com a tecnologia associada a estes serviços.

Dos 26,2% de inquiridos que já experimentaram os serviços da Uber, 94,1% classificam a sua experiência como ‘Muito Boa’ ou ‘Boa’.

No que diz respeito à legislação em vigor, 72,3% concordam com a operação de plataformas como a Uber em Portugal, 9,8% dos lisboetas e portuenses discordam que com a existência destes serviços em Portugal, e 17,9% não sabem ou não respondem.

Quanto ao papel da tecnologia, 87% dos lisboetas e portuenses acreditam que os serviços de transporte podem melhorar com o uso de tecnologia e inovação. Desta forma, apenas 1% dos inquiridos discorda que a tecnologia e a inovação não contribuem para melhorar a mobilidade em Portugal.

Esta sexta-feira, 29 de abril, os taxistas cumprem mais um protesto contra o serviço da Uber em Portugal. O primeiro balanço do protesto, feito pela Federação Portuguesa de Táxi ao Dinheiro Vivo mostra que a adesão está em linha com as previsões.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.
Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
precários jovens licenciados

Jovens, precários e licenciados pagam ajustamento laboral da pandemia

Utentes à saída de um cacilheiro da Transtejo/Soflusa proveniente de Lisboa, em Cacilhas, Almada. MÁRIO CRUZ/LUSA

Salário médio nas empresas em lay-off simplificado caiu 2%

Uma funcionária transporta máscaras de proteção individual na fábrica de confeções Petratex, em Carvalhosa, Paços de Ferreira, 27 de abril de 2020. HUGO DELGADO/LUSA

Mais de 60% dos “ausentes” do trabalho são mulheres

Táxi ou Uber? Os portugueses não têm dúvidas