Galp, BP, Repsol e Apetro em tribunal para travar combustíveis simples

ng4167019

A Galp, BP, Repsol e a Associação Portuguesa das Empresas Petrolíferas (Apetro) colocaram uma providência cautelar para suspender a legislação que as obriga a disponibilizar na sua rede de distribuição os chamados combustíveis simples - sem quaisquer aditivos. Outro dos objetivos é evitar a fiscalização e a aplicação de coimas, segundo o Diário Económico.

A ameaça das petrolíferas acabou assim por concretizou-se, na batalha para travar os combustíveis simples, recentemente impostos pelo Governo e que começaram a ser comercializados a 17 de abril.

A Providência cautelar entrou no Tribunal Administrativo de Lisboa e estão na forja outras iniciativas processuais, tendo, para já, a Cepsa e a Prio ficado de fora do protesto judicial.

O direito a escolher livremente os combustíveis que comercializam nas bombas de abastecimento e a fixar o conteúdo contratual entre grossistas e retalhistas, a par do impedimento de aplicação de coimas são alguns dos fundamentos apresentados.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fotografia: direitos reservados

RGPD. Um ano depois, mercado português pede maturidade e legislação

Certificados

Famílias investiram uma média de 3,3 milhões por dia em certificados este ano

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa (C), durante a cerimónia militar do Instituto Pupilos do Exército (IPE), inserido nas comemorações do 108.º aniversário da instituição, em Lisboa, 23 de maio de 2019.  ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

Marcelo: “Quem não for votar, depois não venha dizer que se arrepende”

Outros conteúdos GMG
Galp, BP, Repsol e Apetro em tribunal para travar combustíveis simples