Desastre humanitário

Galp envia ajuda para Moçambique

(Pauo Spranger/Global Imagens)
(Pauo Spranger/Global Imagens)

Colaboradores da empresa ajudaram na recolha de comida e bens. Fundação da petrolífera envia ajuda à Cruz Vermelha.

Com negócios em Moçambique há mais de 60 anos, a Galp juntou-se à onda solidária de empresas portuguesas que arrancaram com ações para ajudar as populações moçambicanas vítimas do ciclone Idai. Em articulação com a Cruz Vermelha, a Fundação Galp mobilizou meios para enviar às vítimas do desastre humanitário e está já em vias de fazer chegar comida e bens de primeira necessidade à Beira.

“Em face da situação de calamidade que se está a viver no país, a Fundação Galp vai disponibilizar bens de emergência à Cruz Vermelha no valor de 150 mil euros para apoiar as operações de socorro às vítimas em Moçambique, com foco na província de Sofala”, explicou a petrolífera portuguesa.

“Consciente que a disponibilidade de combustível é fundamental para as operações de socorro e de reconstrução, a Galp está concentrada em assegurar a normalidade das operações nos seus postos de abastecimento nas zonas afetadas.”

Os produtos saíram já esta tarde da sede da Galp, nas Torres de Lisboa, depois de a empresa mobilizar os seus colaboradores em diversas geografias para a recolha de bens identificados pela Cruz Vermelha como essenciais para as populações afetadas. A carga será agora enviada por avião para Moçambique.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Lisboa. MÁRIO CRUZ/LUSA

Défice externo até julho agrava-se para 1633 milhões de euros

Lisboa. MÁRIO CRUZ/LUSA

Défice externo até julho agrava-se para 1633 milhões de euros

EDP. (REUTERS/Eloy Alonso)

Concorrência condena EDP Produção a multa de 48 milhões

Outros conteúdos GMG
Galp envia ajuda para Moçambique