Energia

Galp inicia produção do projeto Kaombo Norte no bloco 32 em Angola

Carlos Gomes da Silva, presidente executivo da Galp. Foto: D.R.
Carlos Gomes da Silva, presidente executivo da Galp. Foto: D.R.

A Galp iniciou a produção do projeto Kaombo Norte, no Bloco 32, em Angola, comunicou a empresa ao mercado.

A Galp iniciou a produção do projeto Kaombo Norte, no Bloco 32, em Angola, comunicou esta sexta-feira a empresa ao mercado.

“A Galp, parceira do consórcio para o desenvolvimento do Bloco 32, informa que se iniciou a produção do projeto Kaombo, através da FPSO que irá desenvolver a área de Kaombo Norte, localizada aproximadamente a 260 quilómetros da costa de Luanda, em profundidades de água entre os 1.400 e 1.950 metros”, lê-se no comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

O plano em causa prevê a instalação de duas unidades ‘Floating Production Storage and Offloading’ (FPSO), cada uma com uma produção de cerca de 115 mil barris de petróleo por dia.

“A segunda unidade, a ser alocada à área de Kaombo Sul, deverá iniciar operações durante 2019”, adiantou a Galp.

De acordo com a empresa, as unidades serão conectadas a 59 poços submersos, tendo em vista o desenvolvimento dos recursos localizados em seis descobertas efetuadas na parte centra sul do Bloco 32.

“A estimativa de volumes totais a serem recuperados dos campos é de cerca de 650 milhões de barris de petróleo”, informou.

Presente em Angola desde 1982, a Galp detém uma participação de 5% no consórcio para o desenvolvimento do Bloco 32.

A petrolífera Total, a operadora do bloco, detém uma participação de 30%, sendo os restantes parceiros a Sonangol P&P (30%), Sonangol Sinopec International 32 Limited (20%) e Esso Exploration & Production Angola Limited (15%).

Em 20 de fevereiro, o administrador Thore Kristiansen anunciou que a Galp esperava iniciar a produção de petróleo no Bloco 21 em Angola durante o primeiro semestre, compensando a redução de produtividade do Bloco 14.

“A plataforma de Kaombo Norte [no bloco 32] deverá arrancar no primeiro semestre deste ano, enquanto a plataforma de Kaombo Sul só está previsto operar no próximo ano”, disse, também na altura, o administrador, em Londres.

Segundo a Galp, as operações em Angola caíram 18% para seis mil barris por dia face ao ano anterior devido ao declínio dos campos do Bloco 14, anunciou, à data, a petrolífera em comunicado ao mercado.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Fábio Poço/Global Imagens)

Alojamento Local. Há 11 desistências por dia desde que nova lei entrou em vigor

Fotografia: Regis Duvignau / Reuters

Clandestinidade preocupa sindicato da construção

Fotografia: REUTERS/Juan Medina

Extensão do prazo da OPA ao Dia faz parar operações de venda do grupo

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Galp inicia produção do projeto Kaombo Norte no bloco 32 em Angola