Energia

Galp inicia produção do projeto Kaombo Norte no bloco 32 em Angola

Carlos Gomes da Silva, presidente executivo da Galp. Foto: D.R.
Carlos Gomes da Silva, presidente executivo da Galp. Foto: D.R.

A Galp iniciou a produção do projeto Kaombo Norte, no Bloco 32, em Angola, comunicou a empresa ao mercado.

A Galp iniciou a produção do projeto Kaombo Norte, no Bloco 32, em Angola, comunicou esta sexta-feira a empresa ao mercado.

“A Galp, parceira do consórcio para o desenvolvimento do Bloco 32, informa que se iniciou a produção do projeto Kaombo, através da FPSO que irá desenvolver a área de Kaombo Norte, localizada aproximadamente a 260 quilómetros da costa de Luanda, em profundidades de água entre os 1.400 e 1.950 metros”, lê-se no comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

O plano em causa prevê a instalação de duas unidades ‘Floating Production Storage and Offloading’ (FPSO), cada uma com uma produção de cerca de 115 mil barris de petróleo por dia.

“A segunda unidade, a ser alocada à área de Kaombo Sul, deverá iniciar operações durante 2019”, adiantou a Galp.

De acordo com a empresa, as unidades serão conectadas a 59 poços submersos, tendo em vista o desenvolvimento dos recursos localizados em seis descobertas efetuadas na parte centra sul do Bloco 32.

“A estimativa de volumes totais a serem recuperados dos campos é de cerca de 650 milhões de barris de petróleo”, informou.

Presente em Angola desde 1982, a Galp detém uma participação de 5% no consórcio para o desenvolvimento do Bloco 32.

A petrolífera Total, a operadora do bloco, detém uma participação de 30%, sendo os restantes parceiros a Sonangol P&P (30%), Sonangol Sinopec International 32 Limited (20%) e Esso Exploration & Production Angola Limited (15%).

Em 20 de fevereiro, o administrador Thore Kristiansen anunciou que a Galp esperava iniciar a produção de petróleo no Bloco 21 em Angola durante o primeiro semestre, compensando a redução de produtividade do Bloco 14.

“A plataforma de Kaombo Norte [no bloco 32] deverá arrancar no primeiro semestre deste ano, enquanto a plataforma de Kaombo Sul só está previsto operar no próximo ano”, disse, também na altura, o administrador, em Londres.

Segundo a Galp, as operações em Angola caíram 18% para seis mil barris por dia face ao ano anterior devido ao declínio dos campos do Bloco 14, anunciou, à data, a petrolífera em comunicado ao mercado.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O ex-presidente do BPN, José Oliveira Costa. Fotografia: Rodrigo Cabrita/Global Imagens

Finanças. Antigo BPN está a ajudar a reduzir défice deste ano

Vieira da Silva e Cláudia Joaquim
Fotografia: Leonardo Negr‹ão / Global Imagens

Governo admite eliminar factor de sustentabilidade noutros tipos de pensões

O ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva  JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Regras das pensões antecipadas que existem em 2018 vão manter-se

Outros conteúdos GMG
Galp inicia produção do projeto Kaombo Norte no bloco 32 em Angola