Galp perde mais um parceiro na exploração de petróleo em Portugal

Manuel Ferreira de Oliveira, CEO da Galp
Manuel Ferreira de Oliveira, CEO da Galp

A Galp perdeu mais um parceiro na exploração de petróleo e gás natural em Portugal. A norte americana Porto Energy, com quem a petrolífera portuguesa partilhava a 50% um projeto em Aljubarrota, anunciou esta segunda-feira que iria abandonar as operações no país já a partir de 30 de maio.

Em causa, explicou a empresa num comunicado emitido ao mercado no Canadá, onde está cotada, estará o facto da empresa não ter conseguido encontrar investidores para partilhar o risco de uma operação que é de capital intensivo como é o caso da exploração de petróleo e gás. “A empresa acredita que isto se deveu, largamente, ao facto de não haver produção de petróleo e gás em Portugal”, diz no comunicado.

A Porto Energy adianta ainda que esteve em negociações avançadas com dois investidores, mas sem sucesso, acabado por decidir sair do país devido “pressão que teve nos últimos 18 meses para alocar capital ao negócio”.

Contactado pelo Dinheiro Vivo, o advogado da empresa em Portugal escusou-se a adiantar mais detalhes sobre a situação financeira, remetendo para o comunicado, mas a verdade é que, neste momento, o único telefone disponível da Porto Energy em Portugal é o deste responsável. O da sede no Príncipe Real não está a funcionar.

Esta notícia surge poucos meses depois da Petrobras ter também decidido abandonar as operações em Portugal para se dedicar ao Brasil, fazendo com que a Galp tenha perdido dois importantes parceiros só este ano. Isto porque, a empresa portuguesa já fez saber que não tem capacidade nem quer suportar os custos e o risco da operação sozinha.

Aliás, o CEO da Galp, Manuel Ferreira de Oliveira, já disse que, no caso da exploração de petróleo no Alentejo, que partilhava com a Petrobras, a empresa está à procura de um parceiro e que se não encontrar nenhum abandonará o projeto. Resta agora saber se acontecerá o mesmo com a operação de Aljubarrota.

Contactada, a Galp disse não ter comentários a fazer para já, nem sobre a saída, nem sobre se teria sido um dos investidores com quem a Porto Energy esteve em negociações. É que a empresa portuguesa terá uma opção de compra sobre 25% de cada uma das outras seis explorações que a Porto Energy tem em Portugal.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Lear Corporation

Há mais de 800 mil portugueses a trabalhar por turnos

Alexandra Leitão, ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública. (António Pedro Santos / Lusa)

Governo vai reservar verba para financiar pré-reformas no Estado

Rui

“Se Rui Rio ganhar as eleições do PSD este Governo dura quatro anos”

Outros conteúdos GMG
Galp perde mais um parceiro na exploração de petróleo em Portugal