Nissan

Ghosn é acusado de ocultar rendimentos. Pena pode chegar aos 10 anos

Carlos Ghosn, antigo chairman e CEO da Nissan. REUTERS/Regis Duvignau
Carlos Ghosn, antigo chairman e CEO da Nissan. REUTERS/Regis Duvignau

O Ministério Público acusa também a Nissan, uma vez que foi a empresa a apresentar os relatórios às autoridades.

O Ministério Público japonês acusou oficialmente o antigo presidente da Nissan, Carlos Ghosn, de ocultar rendimentos da empresa durante um período de cinco anos, informou, esta segunda-feira, a agência oficial Kyodo.

De acordo com a agência e o canal NHK, o Ministério Público responsabiliza ainda a Nissan, uma vez que foi a empresa a apresentar os relatórios financeiros às autoridades.

Ghosn, detido em Tóquio há três semanas, foi entretanto demitido como presidente da Nissan e também das mesmas funções na empresa japonesa Mitsubishi. Além de Ghosn foi também detido o seu principal colaborador, o norte-americano Greg Kelly.

Uma investigação interna da Nissan, promovida por um informador, alegou ainda que Ghosn havia feito uso pessoal dos fundos da empresa, revela o Financial Times. A Comissão de Segurança japonesa revelou que pediu ao Ministério Público que apresentasse queixas contra Ghosn e Kelly por alegada falsificação de relatórios financeiros durante aquele período.

A ser considerado culpado, o ex-presidente da Nissan pode ser condenado a 10 anos de prisão e ao pagamento de uma multa de 10 milhões de ienes (aproximadamente 80 mil euros). A multa da Nissan pode chegar aos 700 milhões de ienes (cerca de 5,45 milhões de euros).

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Carlos Costa, Governador do Banco de Portugal

BES: Processos contra Banco de Portugal caem para metade

O primeiro-ministro, António Costa, gesticula durante o debate quinzenal na Assembleia da República, em Lisboa, 19 de março de 2019. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

António Costa: “Portugal vai continuar a crescer acima da média europeia”

( Filipa Bernardo/ Global Imagens )

Federação de Futebol põe fim a contestado memorando com RTP

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Ghosn é acusado de ocultar rendimentos. Pena pode chegar aos 10 anos