investigação e desenvolvimento

Gigantes tecnológicas vão investir 86 mil milhões em inovação na Europa

startup-849805_1920

A Amazon, Alphabet, Apple, Microsoft, Intel e o Facebook investiram 43.395 milhões em I&D nos primeiros seis meses deste ano.

As seis maiores empresas tecnológicas estão a apostar cada vez mais no setor de Investigação e Desenvolvimento (I&D) na Europa. A Amazon, Alphabet, Apple, Microsoft, Intel e o Facebook, investiram 43.395 milhões de euros até junho, mais 21,5% do que no mesmo período do ano passado. Segundo o espanhol CincoDías, a manter-se este ritmo, o montante investido poderá chegar aos 86 mil milhões de euros (100 mil milhões de dólares) até ao final do ano.

O primeiro lugar da lista é ocupado pela Amazon, que investiu neste setor mais 12 mil milhões entre janeiro e junho, um aumento de 35%. Esta aposta materializa-se em produtos como os serviços de computação na cloud (Amazon Web Services, AWB), ou a assistente digital, Alexa. Se mantiver o ritmo, poderá chegar aos 28 mil milhões de euros no total do ano, superando assim os 23 mil milhões do ano passado.

Em segundo lugar surge a Alphabet (casa-mãe da Google), que nos primeiros seis meses do ano aumentou em 24% o investimento neste setor para 8.756 milhões de euros. A tecnológica tem vindo a apostar na melhoria dos serviços mais conhecidos da marca: serviços cloud, Google Maps, Gmail, Youtube ou o Google Home.

Segundo a diretora financeira da Alphabet, Ruth Porat, o investimento tem sido feito principalmente em talento técnico. Em junho, a gigante tecnológica tinha mais 4 mil trabalhadores do que no mesmo mês do ano passado.

A terceira empresa que mais investiu no setor foi a Microsoft: 12.700 milhões de euros no ano fiscal de 2018, que terminou em junho, mais 13% do que no ano anterior. O CEO Satya Nadella indica que este valor reflete a vontade da empresa em investir em serviços de cloud inteligente e a aposta em mercados em desenvolvimento, através de uma inovação diferenciada. Entre as várias medidas estão a modernização do Windows 10, da rede social profissional Linkedin, a expansão da Dynamics 365 e o investimento no serviço de cloud Azure.

A Apple vai fechar este mês com um montante total de investimento de 9.044 milhões de euros, mais 22% do que no período homólogo do ano passado. Se continuar a este ritmo, a previsão é que atinja os 14 mil milhões no conjunto deste ano fiscal. Os novos modelos de iPhones ajudaram a fazer crescer estes números e a subir as previsões. A gigante tecnológica liderada por Tim Cook acredita que o investimento neste setor permite-lhe continuar a crescer e a ser competitiva.

A Intel terminou o primeiro semestre com um investimento de cerca de 5.763 milhões de euros, mais 1,7% do que em 2017. Destaca-se a aposta que tem sido feita na inovação data-centric e nos processadores (chips) de 10 nanómetros.

O Facebook está no último lugar da lista, mas continua a avançar neste ranking. O investimento em Investigação e Desenvolvimento aumentou 27% para 4.106 milhões no primeiro semestre.

Investimento em I&D vai continuar a crescer

Olhando para os números, conclui-se que o investimento está a crescer ao maior ritmo de sempre registado nos últimos 12 anos. Estes números refletem uma maior aposta neste setor, impulsionado tanto pela crescente aposta na propriedade intelectual como na inovação como forma de melhorar a produtividade das empresas.

Os analistas da Zacks Equity Research defendem que os cortes fiscais que têm vindo a ser anunciados pelos EUA têm contribuído para o aumento do investimento neste setor na Europa, refere o jornal espanhol.

Para além das tecnológicas também as farmacêuticas têm aumentado a aposta no setor I&D. É o exemplo da Merck, que investiu 4.610 milhões de euros no primeiro semestre, seguindo-se a Johnson & Johnson e a Pfizer. Na indústria automóvel, o ranking é liderado pela General Motors, Ford, Lockheed Martin, GE e Exxon Mobil.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Artur Machado / Global Imagens)

Dinheiro Vivo mantém-se líder digital dos económicos

(Artur Machado / Global Imagens)

Dinheiro Vivo mantém-se líder digital dos económicos

O ex-governador do Banco de Portugal (BdP), Vítor Constâncio, fala perante a II Comissão Parlamentar de Inquérito à Recapitalização da Caixa Geral de Depósitos e à Gestão do Banco, na Assembleia da República. TIAGO PETINGA/LUSA

Constâncio: Risco para a estabilidade no crédito a Berardo era “problema da CGD”

Outros conteúdos GMG
Gigantes tecnológicas vão investir 86 mil milhões em inovação na Europa