Coronavírus

GLN do grupo Champalimaud já está a exportar viseiras para Europa e México

José Carlos Gomes, CEO da GLN
José Carlos Gomes, CEO da GLN

Empresa de moldes em plástico do grupo Manuel Champalimaud readaptou para produzir viseiras para o mercado nacional e internacional.

A GLN, empresa da indústria de moldes técnicos do grupo Manuel Champalimaud, já está a produzir e a exportar viseiras para vários países europeus e para o México. O material de proteção individual está a ser produzido nas duas fábricas da GLN em Portugal, em Leiria e Marinha Grande.

A empresa especializada em moldes técnicos de plástico adaptou em poucas semanas o seu negócio tendo começado a produzir equipamentos de protecção individual para grandes empresas nacionais e internacionais.

A partir das fábricas da Marinha Grande e Leiria começaram a produzir para o “mercado nacional, países da União Europeia (como a Suécia) e México”, adianta fonte oficial o Dinheiro Vivo. “Começámos com a produção de poucos milhares de viseiras e tem vindo a crescer”, diz a mesma fonte, sem adiantar valores de unidades produzidas nem exportadas. “É ainda muito cedo para se antecipar um volume de receitas.”

A GLN exporta cerca de 75% da sua produção habitual.

“Foi um investimento relativamente baixo, pois usamos capacidade existente” diz a mesma fonte, quando questionada sobre o investimento que esta readaptação da produção tinha exigido da empresa.

“É nosso objetivo manter este negócio no futuro”, assegura fonte oficial da empresa.

“Talvez a produção de equipamentos de protecção individual seja um primeiro passo de uma longa caminhada. Mas, neste momento, o nosso principal objectivo é manter todos os postos de trabalho”, destaca José Carlos Gomes, CEO da GLN, citado em nota de imprensa.

Dos cerca de 300 colaboradores, apenas cerca de 20% está em casa, em assistência à família e em teletrabalho.

“A GLN sempre foi conhecida por ser uma empresa com uma grande capacidade técnica e queremos utilizar essa competência como base para construir e crescer em novos mercados mais tecnológicos”. A empresa está disponível para colaborar com as autoridades de saúde e as indústrias médica e farmacêutica que necessitem da tecnologia de moldes e injecção. “Estamos prontos para novos desafios”, refere o CEO.

Esta empresa, que pertence ao Grupo Manuel Champalimaud e conta com fábricas em Leiria, Marinha Grande e Querétaro, no México, reservou 2.000 viseiras para doar as instituições locais, como centros de saúde e corporações de bombeiros.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Indústria do calçado. 
Fotografia: Miguel Pereira/Global Imagens

Portugal regressou ao Top 20 dos maiores produtores de calçado

Sonae Industria

Ações da Sonae Indústria e da Sonae Capital disparam após OPA da Efanor

Alexandre Meireles, presidente da ANJE. Fotografia:  Igor Martins / Global Imagens

ANJE teme que 2021 traga “grande vaga” de falências e desemprego

GLN do grupo Champalimaud já está a exportar viseiras para Europa e México