Tecnologia

Google ataca mercado do fitness com Fitbit

EPA/FRANCK ROBICHON
EPA/FRANCK ROBICHON

Gigante tecnológica confirmou que empresa de gadgets para fitness estará no seu portefólio.

Mais de 2 mil milhões de dólares é quanto a Google vai desembolsar para incluir a Fitbit no seu universo. Os rumores que se espalharam nesta semana foram hoje confirmados pela gigante tecnológica, que anunciou a compra da empresa de wearables. O modelo de negócio será semelhante ao que foi levado a cabo com a Nest, ou seja, a Fitbit vai ficar verdadeiramente integrada no universo Google e não manter-se independente.

“É uma oportunidade para investir ainda mais a sério no Wear OS e criar uma linha de wearables made by Google”, justificou o responsável pela área de gadgets, Rick Osterloh, citado pelo The Verge, que confirmou a compra por 2,1 mil milhões. Um negócio que vem resolver um problema que se vinha arrastando para a Google, com a gigante tecnológica a tentar e falhar sucessivas incursões nesta área de negócio. Com os gadgets, experiência, mercado e clientes da Fitbit, a empresa pode finalmente cumprir a ambição de chegar a esta importante fatia de consumidores, para o que já contribuíra também a aquisição, em janeiro, de tecnologia da relojoeira Fossil para wearables.

Entretanto, a companhia de wearables de fitness já tranquilizou os utilizadores, assegurando que os dados de saúde e registos de exercício dos seus clientes não serão partilhados ou utilizados para direcionar anúncios da Google.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
apple one

Apple One junta vários serviços, chega a Portugal mas com limitações. O que tem

A  90ª edição da Micam, a feira de calçado de Milão, está agendada para os dias 20 a 23 de setembro, com medidas de segurança reforçadas. Fotografia DR

Calçado. Micam arranca este domingo e até há uma nova marca presente

Os ministros da Presidência do Conselho de Ministros, Mariana Vieira da Silva (C), Economia, Pedro Sia Vieira (E) e do Trabalho Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho (D). MANUEL DE ALMEIDA/POOL/LUSA

Portugal é o quarto país da UE onde é mais difícil descolar do mínimo

Google ataca mercado do fitness com Fitbit