concorrência

Google perto de ser multada na Europa. Coima pode chegar aos 11 mil milhões

Foto:  REUTERS/Charles Platiau
Foto: REUTERS/Charles Platiau

Uma das empresas queixosas é portuguesa. O caso estará prestes a chegar ao fim depois de uma investigação de vários anos.

A Comissão Europeia deverá multar a Google, outra vez, por práticas anticoncorrenciais. Desta vez o caso está relacionado com o sistema operativo Android, através do qual a gigante norte-americana terá exercido uma posição dominante abusiva. A notícia é avançada pelo Financial Times.

A publicação diz que o anúncio deste caso deverá ser feito durante o mês de julho. Ainda não é certo qual o valor da multa que poderá ser aplicada à Google, mas a CE pode exigir até 10% da faturação anual da empresa-mãe, a Alphabet – o que significa que pode chegar aos 11 mil milhões de dólares, o equivalente a 9,3 mil milhões de euros. Este valor diz respeito ao ‘pior’ dos cenários, mas por norma as coimas são mais baixas.

Segundo o Financial Times, a comissária europeia para a área da concorrência, Margrethe Vestager, deverá revelar que a Google impôs termos ilegais aos fabricantes do sistema operativo Android, o que terá prejudicado não só a concorrência, mas também as opções de escolha dos consumidores.

Uma das empresas queixosas é a portuguesa Aptoide. A tecnológica tem uma loja de aplicações para o sistema operativo Android, mas essa loja não pode ser distribuída diretamente através do serviço Google Play, por decisão da Google.

O Android é atualmente o sistema operativo móvel mais popular do mundo e tem mais de 80% de quota de mercado, segundo dados da consultora IDC.

Em junho de 2017, a Google já tinha sido multada pela União Europeia em 2,4 mil milhões de dólares, por práticas anticoncorrenciais relativas a um serviço de comparação de preços. Uma terceira investigação está ainda a decorrer por suspeitas de abuso de posição no segmento dos motores de busca.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
lisboa

Balcão dos despejos recebeu 294 pedidos por mês. São menos 44 do que em 2017

www.dinheirovivo.ptcombustiveis-7-1-1bb026ceb7a816266a2de2967749df8fd8ec068c-34e8f5d94c782fb8aeedef4aac66cd8f0db5ac96

Combustíveis descem há seis semanas, mas estão mais caros do que em janeiro

Tomás Correia, preside a Associação Mutualista Montepio, dona do Caixa Económica

Montepio: Líder da mutualista diz que processos não impedem nova liderança

Outros conteúdos GMG
Google perto de ser multada na Europa. Coima pode chegar aos 11 mil milhões