Tecnologia

Google recorre da multa recorde imposta pela União Europeia

google-china-3-960x540_c

Em julho, foi aplicada uma multa com valor recorde de 4,3 mil milhões de euros por abuso de posição no mercado devido ao sistema Android.

O grupo norte-americano Google anunciou esta terça-feira que recorreu contra a multa recorde de 4,34 mil milhões de euros, imposta em julho pela União Europeia (UE) por abuso de posição dominante do sistema de exploração para “smartphones Android”.

“Nós recorremos contra a decisão da Comissão Europeia sobre “Android” no Tribunal da União Europeia”, declarou o porta-voz da Google Al Verney, num ‘email’ enviado à AFP.

Em 18 de julho, a Comissão Europeia aplicou uma multa com valor recorde de 4,3 mil milhões de euros ao gigante norte-americano Google por abuso de posição no mercado devido ao sistema Android.

Esta sanção visava punir a Google por violação das regras ‘anti-trust’ (de concorrência) da União Europeia (UE) pela posição dominante do seu sistema operativo para ‘smartphones’, Android, de modo a garantir a predominância das suas próprias aplicações – com destaque para o serviço de navegação Chrome.

O valor da multa ultrapassa o anterior recorde, de 2,42 mil milhões, também atribuída à Google em junho de 2017 por favorecimento do serviço de comparação de preços ‘Google Shopping’ em relação aos seus concorrentes.

O sistema de exploração Android é utilizado por 80% dos aparelhos na Europa e em todo o mundo, sendo o também gigante Apple a principal exceção.

O recurso pode tardar anos a ser julgado pela justiça europeia.

O tribunal da UE, composto de pelo menos um juiz por Estado-membro, é uma das duas jurisdições do Tribunal de Justiça da UE, cuja sede é no Luxemburgo.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
ice-cream-cone-1274894_1920

Há pecados de verão que apetecem mesmo nos dias de chuva

ice-cream-cone-1274894_1920

Há pecados de verão que apetecem mesmo nos dias de chuva

João Galamba, Secretário de Estado da Energia 
(PAULO SPRANGER/Global Imagens)

João Galamba: “Há diferença entre encontrar rendas excessivas e cortá-las”

Outros conteúdos GMG
Google recorre da multa recorde imposta pela União Europeia