Energia

Google vai investir em novo centro de dados sustentável na Dinamarca

Google investimento Portugal
Foto: Paweł Czerwiński / Unsplash

A tecnológica decidiu apostar nas oportunidades de investimento sustentável do país e está a avaliar uma série de projetos de energia solar e eólica.

A Google vai investir 690 milhões de dólares (aproximadamente 604 milhões de euros) na construção de um novo centro de dados na Dinamarca, avança a Reuters, esta terça-feira.

A tecnológica decidiu apostar nas oportunidades de investimento sustentável do país e está a avaliar uma série de projetos de energia solar e eólica. Os nomes das empresas parceiras ainda não são conhecidos.

Em setembro, a Google assinou um contrato de dez anos para a compra de energia renovável com três parques eólicos que estão a ser construídos na Finlândia para abastecer um dos seus centros de dados.

O novo centro, na cidade de Fredericia, a estar pronto em 2021, vai criar entre 150 e 200 postos de trabalho.

Além deste investimento, no ano passado a empresa tecnológica comprou outro terreno também na Dinamarca, em Aabenraa, perto do local onde a Apple tem também um projeto para a construção de um centro de dados. A rede social Facebook também já mostrou interesse naquele país.

A Dinamarca é conhecida por abarcar um grande setor de energia eólica, incluindo o fabricante de turbinas Vestas Wind e a construtora de parques eólicos Orsted.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Caixa Geral de Dep—ositos -

Sete dos créditos de risco da CGD tiveram perdas de 100%

Operadores da Groundforce onde a operação da empresa de ‘handling’ Groundforce inclui números como cinco minutos e 400 toneladas, mas também o objetivo de chegar ao fim de 2019 com 3.600 colaboradores, aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, 22 de janeiro de 2018. Para que os aviões estejam no ar, a Groundforce faz toda a assistência em terra, excetuando o fornecimento de comida e de combustível, como resume o presidente executivo da empresa, Paulo Neto Leite, numa visita guiada aos ‘bastidores’ do Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa. MÁRIO CRUZ/LUSA

Com o aeroporto de Lisboa “no limite”, Groundforce exige à ANA que invista já

(Rui Oliveira / Global Imagens)

Quota de mercado dos carros a gasóleo cai para mínimos de 2003

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Google vai investir em novo centro de dados sustentável na Dinamarca