Energia

50 milhões. Governo aprova dois parques eólicos da EDP Renováveis

Parque eólico
Parque eólico

Os dois parques eólicos da EDP Renováveis representam um investimento de cerca de 50 milhões de euros.

O secretário de Estado da Energia, Jorge Seguro Sanches, aprovou dois parques eólicos da EDP Renováveis, que se candidataram à atribuição de licenças eólicas em 2008 e representam um investimento de cerca de 50 milhões de euros.

Em causa estão os parques eólicos de Maunça (20 megawatts), no concelho da Batalha, distrito de Leiria, e de Vigia (28 megawatts), no concelho de Tarouca, no distrito de Viseu.

De acordo com o gabinete de Jorge Seguro Sanches, “a instalação destes projetos, ainda com tarifas ‘feed-in’ (isto é, tarifas subsidiadas), insere-se na lógica de estabilidade contratual e regulatória assumida pelo Governo para o setor”, realçando que os projetos terão “uma considerável incorporação industrial nacional, de acordo com as contrapartidas do contrato, assumidas pelo promotor com o Estado”.

Na nota, a secretaria de Estado da Energia realça que “a evolução tecnológica, entretanto registada nos últimos anos, combinada com o forte potencial solar nacional impôs, no entanto, uma mudança de paradigma no setor das energias renováveis”, que se traduz no fim das tarifas subsidiadas à produção de eletricidade.

“É neste contexto que assenta a atual aposta do Governo na promoção de projetos renováveis, sem tarifa feed-in, que penalizem a fatura de energia, em especial das famílias”, acrescenta.

Mas, estes projetos da empresa liderada por Manso Neto aguardavam aprovação desde 2008, pelo que seguirão as condições então vigentes.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O presidente do Novo Banco, António Ramalho, discursa na cerimónia de lançamento do Projeto de Divulgação Cultural do Novo Banco. Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Banca custou ao Estado mais 1,5 mil milhões de euros em 2019, agora ajude

coronavirus portugal antonio costa

Proibidos ajuntamentos com mais de cinco pessoas. Aeroportos encerrados

O primeiro-ministro, António Costa, fala aos jornalistas no final da reunião do Conselho de Ministros após a Assembleia da República ter aprovado o decreto do Presidente da República que prolonga o estado de emergência até ao final do dia 17 de abril para combater a pandemia da covid-19, no Palácio da Ajuda, em Lisboa, 2 de abril de 2020. 
 MÁRIO CRUZ/POOL/LUSA

Mapa de férias pode ser aprovado e afixado mais tarde do que o habitual

50 milhões. Governo aprova dois parques eólicos da EDP Renováveis