Turismo

Governo prevê encaixe de 150 milhões com concessão de edifícios históricos

Forte de Peniche
Forte de Peniche

Programa Revive arranca hoje com os primeiros 12 edifícios que serão transformados em projetos turísticos

Já estão escolhidos os primeiros 12 edifícios históricos em ruínas, que o Executivo vai abrir à gestão de privados para converter em projetos de interesse turístico.

O programa Revive é apresentado, esta quarta-feira, no âmbito da Semana do Turismo, e passa pela atribuição de concessões de espaços que atualmente são um encargo financeiro para o Estado mas que, pelo seu valor histórico e cultural, têm capacidade para ser requalificados, gerando uma receita, e um novo fluxo de turismo.

Ao todo serão concessionados 30 edifícios históricos espalhados pelas diferentes áreas do País; hoje, o ministério da Economia, Cultura e Finanças, que têm a tutela partilhada deste projeto, apresentam os primeiros 12.

Entre eles estão o Convento de São Paulo, em Elvas, os castelos de Vila Nova de Cerveira ou de Portalegre, a Fortaleza de Peniche, o Forte do Guincho ou o Forte de São Roque da meia praia em Lagos. Os restantes edifícios serão anunciados até ao final do ano e, tal como estes, localizam-se em zonas diferentes do País, perseguindo o propósito de descentralizar o turismo em Portugal, retirando-o do Litoral e distribuindo-o por todo o território.

Mosteiro de S. Paulo

Mosteiro de S. Paulo

As regras do programa são claras: os potenciais concessionários terão de levar a concurso projetos de reabilitação, que passem pela restauração do edifício já existente, manutenção e a sua abertura ao público.

Isto significa que alguns destes espaços serão convertidos em unidades hoteleiras, mas também em restaurantes ou mesmo espaços para concertos ou festivais.

O governo quer que cada caso seja tratado de forma diferenciada e, por isso, cada edifício terá o seu próprio caderno de encargos. Alguns já deverão limitar também o destino dos espaços a concessionar como aconteceu, por exemplo, com o convento de São Paulo, em Elvas, o primeiro a ser lançado a concurso e que, sabe o Dinheiro Vivo, terá de ser reconvertido numa unidade hoteleira a gerir por, pelo menos 40 anos. No geral, os períodos de concessão poderão variar entre 30 e 50 e, no final, podem ser prorrogados ou, se o governo da altura assim o entender, fazer estes edifícios regressarem à mão do Estado.

Mosteiro de Travanca

Mosteiro de Travanca

Neste momento, a maior parte dos espaços que serão levados a concurso estão em estado avançado de degradação e, por isso, terá de haver sempre um compromisso de reabilitação, preservação e conservação a cargo do novo “dono”.

Ainda sem apresentar formalmente este projeto, a secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, já tentou captar a atenção de investidores estrangeiros, tendo divulgado estas oportunidades de investimento no setor do Turismo nas visitas que fez ao Reino Unido, França e Alemanha. E, na próxima deslocação a São Paulo o tema também estará em cima da mesa.

Forte do Guincho

Forte do Guincho

“Queremos garantir que o papel do Estado nisto é ajudar a oferta de uma forma agressiva, ir buscar atração e criar dinamismo ao longo de todo o ano em várias regiões do país”, afirmou em entrevista ao Dinheiro Vivo/TSF a secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, esclarecendo que “ por isso, nesta semana dedicada ao turismo, queremos mostrar que todo o país está efervescente em termos de atividade turística e com novos projetos a surgirem”.

Castelo de Vila Nova de Cerveira

Castelo de Vila Nova de Cerveira

Na apresentação do programa, o governo irá visitar um dos edifícios que serão abertos a concurso: o mosteiro de Santa-Clara-a-Nova, em Coimbra.

Conheça os primeiros 12 edifícios que serão concessionados:

1 – Convento de S. Paulo, Elvas

2 – Castelo de Vila Nova de Cerveira

3 – Fortaleza de Peniche

4 – Mosteiro de S. Salvador de Travanca, Amarante

5 – Mosteiro de Arouca

6 – Mosteiro de Santa Clara-a-Nova

7 – Pavilhões do Parque, Caldas da Rainha

8 – Paço Real de Caxias, Oeiras

9 – Forte do Guincho, Cascais

10 – Castelo de Portalegre

11 – Forte de S. Roque da Meia Praia, Lagos

12 – Quinta do Paço de Valverde, Évora

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Dos blueprints  dos primeiros automóveis, ao topo dos carros elétricos atuais, de elon Musk, em homenagem, a Nikolas Tesla.
Ilustração: VITOR HIGGS

Automóvel. Em 20 anos do euro mudou tudo, menos a carga fiscal e o líder

A EDP, liderada por António Mexia, vai pagar o maior cheque de dividendos da bolsa nacional.

PSI20. Menos lucros mas o mesmo prémio aos acionistas

João Vieira Lopes, presidente da Confederação do Comércio e Serviços.
(Jorge Amaral/Global Imagens)

Vieira Lopes: “Metas do governo são realistas mas é preciso investimento”

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Governo prevê encaixe de 150 milhões com concessão de edifícios históricos