Governo explica a Neeleman e Pedrosa como quer reaver 12% da TAP

David Neeleman e Humberto Pedrosa têm hoje o primeiro encontro formal com Pedro Marques, ministro do Planeamento e Infraestruturas.

A reunião marcada para as 15h00 de hoje é o primeiro encontro oficial desde a tomada de posse do novo ministro do planeamento e servirá para que o Governo possa apresentar o seu plano para reaver a maioria do capital da TAP, numa altura em que as negociações já estão a correr.

Para ouvir a proposta do Executivo, David Neeleman veio a Lisboa onde se junta ao sócio do Atlantic Gateway. E, nada indica que a discussão venha a ser simples, uma vez que a posição dos acionistas sempre foi a de deter o controlo do capital da companhia aérea.

Do lado de António Costa, o regresso do Estado ao controlo da TAP "é vital", como referiu ontem no Parlamento, mas os detalhes da operação estão todos por acertar.

Certo é que os socialistas entendem que a parcela das ações não compradas pelos trabalhadores deve reverter para o Estado. Ou seja, em vez dos atuais 36% com que a Parpública ficou, o Estado pode conseguir subir imediatamente para, até 39%.

A discussão atual centra-se, por isso, nos restantes 12% que ficam a faltar ao Estado para se chegar à maioria de 51%. A grande questão assenta nas contrapartidas que serão apresentadas aos novos donos e na forma como o Pedro Marques - e quem sabe Mário Centeno - encontrarão para reajustar o pagamento de 10 milhões, feito pelos novos donos ao Estado e o investimento de 180 milhões de euros que já entraram na companhia e que Fernando Pinto garantiu já estar, pelo menos metade, investido.

Sem caminho fácil pela frente, e perante uma discussão que poderá prolongar-se por várias semanas, o ministério das Infraestruturas e Planeamento esclarece que a negociação será feita longe dos holofotes.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de