indústria automóvel

Governo prepara benefícios fiscais à Eurocast e Faurecia

Extensão das instalações de controlo de emissões automóveis da Faurecia inaugurada em junho. Fotografia: Rui Manuel Ferreira / Global Imagens
Extensão das instalações de controlo de emissões automóveis da Faurecia inaugurada em junho. Fotografia: Rui Manuel Ferreira / Global Imagens

Minutas dos incentivos devem ser aprovadas nesta semana em Conselho de Ministros. Ao todo são sete contratos

O governo prepara-se para aprovar benefícios fiscais a investimentos de empresas relacionadas com a indústria automóvel não poluente. Ao que o Dinheiro Vivo apurou, o pacote está a ser ultimado e deverá ir a aprovação do Conselho de Ministros ainda nesta semana.

Em causa estão investimentos de algumas empresas estrangeiras que produzem componentes aeronáuticos e para automóveis a operar em Portugal, de forma a privilegiar produções verdes e amigas do ambiente. Confirmados estão já os apoios à Eurocast e à Faurecia. Mas há outras empresas na calha.

Ao todo são sete contratos de investimento que, segundo o Expresso, totalizam 24 milhões de euros. Não foi possível confirmar os pormenores das minutas.

As duas empresas já confirmadas para receber este apoio têm planos de expansão ou reestruturação em curso e investimentos de grande dimensão em Portugal.

A Eurocast, por exemplo, está a ultimar a nova fábrica de Estarreja, que envolve um investimento de 50 milhões de euros e promete a criação de 170 novos postos de trabalho. No Eco-Parque Empresarial de Estarreja está prevista a fundição de alumínio injetada para componentes automóveis, que servirá os mercados nacional e internacionais. Esta será a maior zona de produção do grupo GMD com 21 mil metros quadrados.

Não é só. Também a expansão da Faurecia, em Bragança, poderá beneficiar destes apoios. Até 2018, a multinacional francesa prometeu criar 400 novos postos de trabalho em Bragança além dos 850 que já emprega. Na empresa de escapes para automóveis, que já é o maior empregador daquele distrito, a grande promessa é agora a segunda unidade fabril que começou a laborar em setembro depois de um investimento de 41,5 milhões de euros. Neste espaço vão servir-se marcas como a Jaguar Lang Rover, a Nissan e a Renault, segundo anunciaram os responsáveis no início do verão.

Na linha da frente está também a Embraer, empresa brasileira com um forte polo industrial em Évora. A viver momentos mais difíceis no Brasil, que obrigaram a rever investimentos, cortar custos e redimensionar a operação, a construtora aeronáutica manteve inalterados os seus planos para Portugal. Em junho, a empresa anunciou dois novos projetos de investimento no Alentejo, num valor de 93,6 milhões de euros. Entre ampliação de fábricas, reforço das estruturas metálicas e aquisição de novas máquinas, a empresa pretende ainda introduzir novas tecnologias que permitem melhorar os processos. A revisão do plano de investimento deverá permitir à Embraer vir a beneficiar, num segundo momento, de novos incentivos fiscais.

O Dinheiro Vivo sabe que as minutas destes incentivos já estão praticamente fechadas. No entanto, tradicionalmente, os apoios entregues a estas empresas nunca chegam a ser conhecidos do público. Podem estar em causa reduções da fatura a pagar com IRC ou outros alívios fiscais que permitam libertar recursos para a contratação de trabalhadores.

O setor automóvel adquire, assim, novo destaque, por parte da AICEP e do Ministério dos Negócios Estrangeiros, numa altura em que o país também se mobiliza para poder receber a fábrica de carros e de baterias da gigante norte-americana Tesla. A atribuição destes benefícios dá assim mais um passo para atrair Elon Musk para Portugal, ainda que a concorrência europeia seja forte.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, António Mendonça Mendes. MÁRIO CRUZ/LUSA

Famílias ficam com um pouco mais de salário ao final do mês

Miguel Almeida, CEO da NOS

Comité de Ética da NOS vai ouvir os administradores envolvidos no Luanda Leaks

O Presidente da República de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, discursa durante a cerimónia de tomada de posse do XXII Governo Constitucional, liderado pelo secretário-geral do Partido Socialista (PS), António Costa, no Palácio da Ajuda, em Lisboa, 26 de outubro de 2019. ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

Marcelo: É bem-vindo a Portugal todo o investimento no respeito da legalidade

Governo prepara benefícios fiscais à Eurocast e Faurecia