Governo quer pôr Turismo a crescer 4% ao ano até 2027

Estratégia para os próximos dez anos foi apresentada esta quarta-feira, na Bolsa de Turismo de Lisboa

Nos próximos dez anos, o Turismo deverá crescer a uma razão de 4% ao ano para que em 2027 Portugal possa ostentar 80 milhões de dormidas. No ano passado, foram 53,5 milhões, um novo recorde histórico para o setor - o crescimento foi superior a 10%. Os objetivos a dez anos foram apresentados esta quarta-feira na Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL) e fazem parte da Estratégia de Turismo 2027.

Nessa altura, o setor deverá movimentar receitas de 26 mil milhões de euros, mais do dobro dos valores atuais. No ano passado, as receitas da atividade turística ascenderam a 12 680 milhões de euros, mais 10,7% do que no ano anterior. Os meses mais importantes para a indústria foram, curiosamente outubro, novembro e dezembro, em plena época baixa. A contribuir para os bons números estiveram as vindas de norte-americanos e brasileiros a Portugal.

Governo e Turismo de Portugal, que apresentaram a Estratégia do setor para os próximos dez anos, querem que Portugal seja exemplo lá fora. Mas não só pelos números que têm posto o País na boca do mundo. Pelo novo "Portugal, destino sustentável".

Com o novo plano prevê-se uma maior dispersão do número de turistas que chegam a Portugal pelos vários meses do ano, e que este fluxo se reflita de forma mais abrangente em todo o território nacional. Para isso foram desenhados sete pilares essenciais do crescimento, num projeto que, pela primeira vez, foi ouvir os mercados emissores de turistas e o setor.

Portugal quer liderar o Turismo do Futuro e fazê-lo de forma sustentável. Isto é, assente na conservação e valorização do património cultural e nacional. Também se espera uma maior coesão territorial, com distribuição homogénea nas várias regiões; maior competitividade e inovação; valorização das qualificações e dos trabalhadores; aposta no Turismo que ajuda estrangeiros a ficarem em Portugal, seja para estudar, viver ou trabalhar; mais inclusivo e ligado ao mundo e, por fim, que coloque Portugal num patamar de referência na produção de bens e serviços à escala mundial.

Se tudo correr como esperado, em 2027, Portugal terá conseguido reduzir a sazonalidade de 37,5% para 33,5% e duplicar o número de trabalhadores com ensino secundário ou superior.

Não é só: o novo plano estratégico para o Turismo quer envolver os cidadãos e pôr 90% da população portuguesa satisfeita com o impacto da indústria.

Para isso, as empresas vão ser chamadas a adoptarem medidas de sustentabilidade que sirvam, inclusivamente, de critério para acederem a determinados programas. Esta sustentabilidade vai fazer-se tanto ao nível dos resíduos, como utilização de água ou eficiência energética.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de