transportes

Grande Lisboa admite gerir barcos da Transtejo e da Soflusa

Carlos Humberto Carvalho, primeiro-secretário da Área Metropolitana de Lisboa. (Fotografia: Gerardo Santos / Global Imagens)
Carlos Humberto Carvalho, primeiro-secretário da Área Metropolitana de Lisboa. (Fotografia: Gerardo Santos / Global Imagens)

Empresa metropolitana de transportes de Lisboa será criada até abril e concurso público para operar autocarros terá quatro lotes.

A AML – Área Metropolitana de Lisboa está disponível para gerir as operações da Transtejo e Soflusa. É a resposta da maior região do país ao desafio lançado pelo ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, sobre a descentralização dos transportes. O serviço rodoviário vai ser gerido pela Transportes Metropolitanos de Lisboa.

Em entrevista ao Dinheiro Vivo, o primeiro-secretário da AML, Carlos Humberto, fala ainda sobre o concurso público para a operação do transporte rodoviário de passageiros na Grande Lisboa.

Em que fase está o concurso público para os transportes?
Assim que o concurso entrar em vigor, os autocarros deixam de ser de uma determinada empresa e passam a ter uma marca única. Vamos ter quatro lotes, dois na margem norte e dois na margem sul. Vão partilhar imagem, sistema de bilhética e de informação.

Mas poderão ser empresas diferentes entre os quatro lotes?
Sim. Serão quatro concursos mas com requisitos iguais.

Quando vai começar o concurso público?
Será conhecido depois da validação dos documentos pela AMT – Autoridade da Mobilidade e dos Transportes, que poderá fazer sugestões. O concurso da AML é o mais complexo porque temos mais quilómetros do que nos das restantes comunidades intermunicipais.

Grande Lisboa vai ter mais 40% de oferta rodoviária após concurso público

Quando vai ser criada a TML?
No primeiro quadrimestre de 2020. A TML vai gerir a marca Carris Metropolitana. O concurso público permite a diminuição da idade média da frota, com menores emissões. Também vai ser possível fiscalizar, ao minuto, o serviço, saber se há cumprimento de horários e quantas pessoas entraram no autocarro.

Como é que a nova rede rodoviária vai ligar-se aos outros meios de transporte?
O desenho de rede que fizermos tem em conta meios pesados. O concurso prevê que tanto o operador como a autoridade estejam em condições de ajustar horários à vida das pessoas.

Comprometeram-se a manter os preços dos passes nos próximos anos. Como vão financiar isso?
Em 2020, vamos transferir 33 milhões de euros para o PART. Está previsto que nos anos seguintes, caso venha a ser necessário, os municípios poderão subir esta contribuição para os 45 milhões de euros, ajustando os valores aos do concurso público.

O ministro do Ambiente defendeu a gestão metropolitana da Transtejo/Soflusa. Concordam?
Admitimos essa possibilidade, de sermos autoridade de transporte fluvial e até de outros meios de transporte. Isso agora passa pela discussão concreta e pela avaliação da disponibilidade de financiamento e do investimento que são necessários. A AML não pode deixar de assumir essa responsabilidade e garantir que há financiamento para o défice gerado pelo serviço.

E gerir o Metro de Lisboa?
Também é uma hipótese, mais remota.

E teriam capacidade para gerir os comboios urbanos?
É uma hipótese ainda mais distante. Mas é preciso um serviço ferroviário que cumpra as suas obrigações e sirva as pessoas. Precisamos de um investimento grande em trabalhadores e material circulante para a CP. A ferrovia é a área em que sentimos maior pressão e a resposta não está à altura das necessidades.

A AML também vai ter um sistema de transporte flexível?
Admitimos que isso venha a acontecer mas conta como um serviço extraordinário. No concurso público, está aberta essa possibilidade. Precisamos também de perceber até onde esta nova oferta vai responder e como pode ser complementada.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Ilustração: Vítor Higgs

Indústria têxtil em força na principal feira de Saúde na Alemanha

O Ministro das Finanças, João Leão. EPA/MANUEL DE ALMEIDA

Nova dívida da pandemia custa metade da média em 2019

spacex-lanca-com-sucesso-e-pela-primeira-vez-a-nave-crew-dragon-para-a-nasa

SpaceX lança 57 satélites para criar rede mundial de Internet de alta velocidade

Grande Lisboa admite gerir barcos da Transtejo e da Soflusa