Greve mundial dos motoristas da Uber, a dias da plataforma entrar em bolsa

Trabalhadores queixam-se das condições de trabalho que contrastam com os valores avultados anunciados para a operação.

A dois dias da entrada da Uber em bolsa, os motoristas da aplicação fazem uma paralisação mundial e apelam aos clientes para não utilizarem o serviço nesta quarta-feira. A greve serve como protesto contra as condições de trabalho precárias que a empresa oferece, que contrastam com as avultadas quantias que os investidores esperam receber, quando a Uber entrar no mercado de valores.

A empresa não revela qual o preço a que pretende entrar em bolsa, nem a data, mas calcula-se que a oferta pública inicial aconteça na sexta-feira, com a tecnológica a apresentar uma avaliação de 90 mil a 100 mil milhões dólares.

Leia aqui: Lei Uber: certificados mais de 2.900 motoristas de plataformas eletrónicas

Com cerca de três milhões de motoristas no mundo inteiro, desconhece-se o efeito que o protesto - publicitado a nível global - terá no serviço da aplicação. São várias as cidades que aderiram à paralisação, em países como os Estados Unidos, Austrália, Reino Unido e Brasil.

Nas redes sociais, a hashtag #UberShutDown tem sido das mais usadas, com um forte apelo aos utilizadores para hoje não utilizarem a Uber, em solidariedade com os motoristas.

Leia aqui: Uber. Queixas disparam nos primeiros meses de 2019

Já em 2017, a hashtag #DeleteUber tinha ganhado peso online, depois de a empresa ter sido acusada de furar uma greve de taxistas em Nova Iorque, que protestavam contra a ordem executiva de Donald Trump para limitar a entrada nos Estados Unidos a refugiados e imigrantes de certos países. Apesar de a Uber ter dito que não queria furar a paralisação, mais de 500 mil utilizadores deixaram de ser clientes da plataforma após este caso.

Nesse ano, uma sequência de vários escândalos acabou por levar à demissão do CEO e co-fundador Travis Kalanick. O seu lugar foi tomado por Dara Khosrowshahi, que prometeu mudar algumas políticas da empresa e ser mais generoso para com os motoristas.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de