Comboios

Greve parou quase 100% dos comboios urbanos em Lisboa e 72% no Porto e regionais

Comboios vendidos sob investigação

A greve dos trabalhadores ferroviários parou hoje quase 100% dos comboios urbanos de Lisboa, 72% dos do Porto.

A greve dos trabalhadores ferroviários parou hoje quase 100% dos comboios urbanos de Lisboa, 72% dos do Porto e regionais e 66% das ligações internacionais, disse à agência Lusa fonte da CP.

Os dados recolhidos pela CP entre as 00:00 e as 08:00 indicam que a greve suprimiu 10 ligações internacionais (66%), 60 comboios regionais (72%), 114 comboios urbanos de Lisboa (98%) e 36 urbanos do Porto (72%).

Os trabalhadores ferroviários da CP, Medway e Takargo estão hoje em greve contra a possibilidade de circulação de comboios com um único agente.

Na informação divulgada ao início da manhã, com o primeiro balanço do dia até às 06:30, o Sindicato Ferroviário da Revisão e Comercial itinerante (SFRCI) tinha indicado que a adesão à greve obrigou a uma paralisação de 90% dos comboios de mercadorias e de passageiros em todo o país.

Segundo disse à agência Lusa Luis Bravo, presidente do sindicato, a taxa de paralisação dos comboios entre as 22:00 e as 06:30 esteve “na ordem dos 90% em todo o país”, sendo que nas zonas urbanas chegou a atingir os 100%.

“Nas zonas urbanas de Lisboa é de 100% e no Porto de 95%”, acrescentou.

Os sindicatos que convocaram a greve consideram que “a circulação de comboios só com um agente põe em causa a segurança ferroviária — trabalhadores, utentes e mercadorias”, e defendem, por isso, que “é preciso que não subsistam dúvidas no Regulamento Geral de Segurança (RGS)”.

Os ferroviários rejeitam alterações ao RGS com o objetivo de reduzir custos operacionais e consideram que a redação do Regulamento Geral de Segurança, em discussão nos últimos meses, deixa em aberto a possibilidade de os operadores decidirem se colocam um ou dois agentes nos comboios.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Dívida pública está nos 130,3%

Endividamento da economia atinge novo recorde em abril

O ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, José Vieira da Silva, fala perante a Comissão de Trabalho e Segurança Social, na Assembleia da República, em Lisboa, 26 de junho de 2019. TIAGO PETINGA/LUSA

Mais 93 mil novas pensões atribuídas até julho

Luís Lima, APEMIP

Imobiliárias temem fuga de clientes com nova lei de combate ao branqueamento

Outros conteúdos GMG
Greve parou quase 100% dos comboios urbanos em Lisboa e 72% no Porto e regionais