retalho

Retalho. Jumbo dá lugar a Auchan

Empresa francesa quer uma uniformização da marca em Portugal e optou pela Auchan. Investimento de 90 milhões anunciado para 2018 e 2019

A marca Jumbo vai terminar em Portugal e dar lugar à Auchan. Uma mudança que visa “apostar numa marca global, mais forte e capaz de trazer mais valor” para os clientes e para os colaboradores, anunciou o grupo francês, que vai investir 90 milhões de euros nos próximos dois anos em Portugal, no rebranding e na abertura de novas lojas.

Para a abertura de novas lojas, vão, sensivelmente, 40 milhões de euros. “Neste momento temos condições para abrir 25 a 30 lojas My Auchan, que são espaços que variam entre os 300 e os 500 metros quadrados”, adiantou Pedro Cid, recusando qualquer influência da entrada da Mercadona em Portugal nesta decisão. “Zero influência. Fazemos os nossos planos a quatro anos”, diz.

A aposta será no alargamento da presença de espaços de proximidade MyAuchan. Este ano ainda só na Grande Lisboa, mas a intenção é alargar o formato a todas as cidades onde existem já hipermercados do grupo. Em média, o objetivo da empresa é abrir 30 a 40 lojas por ano, criando 450 a 500 novos postos de trabalho.

A mudança surge, ainda, como uma aposta crescente no fi-digital, ou seja na ligação do físico ao digital. “É a resposta aos novos clientes omnicanal, com total coerência entre formatos e online que faz de cada ponto de venda uma base que liga o cliente à marca a qualquer hora, em qualquer lugar, em qualquer dispositivo”, sublinha a empresa, destacando a intenção de “modernizar a experiência de compra e de soluções”, bem como de “aumentar a atratividade” das lojas e o seu lay out.

O grupo Auchan opera em Portugal com três insígnias: Jumbo, Pão de Açúcar e My Auchan. Agora, e seguindo aquilo que é uma diretiva do grupo francês a nível mundial, concentrará todos os seus formatos numa única insígnia. “É um momento histórico. Desde a compra do Pão de Açúcar, em 1996, que a opção vinha a ser estudada. 85% dos nossos clientes conhecem a Auchan, uma marca mais jovem e mais adaptada ao que temos vindo a fazer”, explicou esta manhã aos jornalistas o diretor-geral da Auchan Retail Portugal.

Fidelizar consumidores, aumentar receitas e “reforçar o relacionamento emocional” com os clientes é o objetivo da Auchan Retail Portugal. Que pretende “ganhar outra dimensão no mercado”, sem especificar números.

No encontro com os jornalistas, o diretor-geral anunciou, ainda, a distribuição de 14,5 milhões de resultados de 2017 pelos colaboradores, “o valor mais alto de sempre”, disse, sublinhando que corresponde a uma média de 2,2 salários a cada trabalhadores.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
António Costa e Silva, responsável pelo plano para a economia nacional nos próximos dez anos.
(Leonardo Negrão / Global Imagens)

Plano de Costa Silva. As bases estão lá, falta garantir boa execução

Filipe Santos, dean da Católica Lisbon Business and Economics ( Pedro Rocha / Global Imagens )

Filipe Santos: Risco de austeridade? “Depende de como evoluir a economia”

Filipe Santos, dean da Católica Lisbon Business and Economics ( Pedro Rocha / Global Imagens )Filipe Santos
( Pedro Rocha / Global Imagens )

Filipe Santos: Há um conjunto de empreendedores que vai continuar

Retalho. Jumbo dá lugar a Auchan