Grupo Mercan e 160 vistos gold investem 56 milhões em hotel no Porto

A poucos passos do futuro Renaissance Park Hotel, a Câmara do Porto vai construir o parque urbano da Lapa, num investimento de 1,1 milhões de euros.

O grupo Mercan e 160 investidores internacionais estão a desenvolver um projeto hoteleiro na Lapa, bairro histórico do Porto, num investimento de 56 milhões de euros. O Renaissance Park Hotel - Porto, cuja construção arrancou no início do ano, integra um plano mais vasto para aquela zona da cidade, que inclui um parque urbano de 14.600 metros quadrados.

Segundo Jordi Vilanova, vice-presidente do grupo Mercan, os investidores adquiriram um lote com 22.787 metros quadrados, dos quais 17.700 foram cedidos à cidade para a edificação do parque urbano da Lapa e de infraestruturas públicas. A cedência foi a título de contrapartidas pelo licenciamento do projeto.

O responsável sublinha que os projetos do grupo Mercan conjugam "o investimento estrangeiro, com a criação de emprego, o estímulo do turismo e o desenvolvimento local e nacional", sendo que no caso do Porto "vai ainda mais longe no impacto positivo".

Como revela, o novo hotel "só é possível porque houve 160 investidores internacionais que via Vistos Gold apostaram nele, tornando-se coproprietários, e aceitando desde logo ceder a grande maioria do terreno adquirido à cidade". Os investidores são na sua maioria provenientes dos Estados Unidos e da Ásia.

A Câmara do Porto tem previsto um investimento de 1,1 milhões de euros para desenvolver neste espaço o parque urbano da Lapa. Neste momento, estão em fase inicial de execução os projetos de especialidades (engenharias), sendo previsto um prazo de 150 dias para a sua finalização, disse fonte oficial da autarquia. Terminada esta fase, será possível iniciar o procedimento de concurso de empreitada e dar início à construção do parque.

Pronto no verão de 2022

A primeira pedra do Renaissance foi lançada ontem (19 de maio) para marcar de forma simbólica o início da construção do hotel, que se iniciou já em janeiro e se prolongará nos próximos 18 meses.

O hotel, que irá ostentar a marca do grupo Marriott International, terá 163 quartos, piscina panorâmica exterior no último andar com bar e esplanada, restaurante para 250 pessoas e um centro de congressos com capacidade até 600 utilizadores. Está prevista a criação de 140 postos de trabalho diretos.

Este projeto do grupo Mercan soma-se ao recentemente anunciado Four Points by Sheraton em Matosinhos, um investimento de 20 milhões de euros, que deverá estar concluído no final deste ano.

"Acreditamos no potencial do turismo em Portugal e estamos convictos de que o país tem todas as condições que justificam a aposta neste setor tão afetado pela pandemia. Razões que nos levam não só a manter, como a reforçar o nosso posicionamento em Portugal, mesmo face à atual conjuntura económica e quase em contraciclo", sublinha Jordi Vilanova.

O grupo Mercan tem atualmente 12 projetos hoteleiros em Portugal, distribuídos pelo Porto, Gaia, Matosinhos, Amarante e Évora. Segundo Jordi Vilanova, "três estão concluídos e deverão iniciar a sua atividade hoteleira ainda este ano, cinco estão em fase de construção e quatro em fase de licenciamento".

Uma área verde no centro da cidade

O projeto do parque urbano da Lapa vai tirar partido da morfologia do terreno, em socalcos, conferindo uma abordagem nova ao sistema de vistas desta parte da cidade, revela fonte oficial da Câmara do Porto. O plano prevê o reposicionamento da ribeira de Salgueiros, atualmente entubada, no seu traçado natural, e a reabilitação do aqueduto em alvenaria que atravessa o terreno (troço do Manancial de Salgueiros).

Está também prevista a construção de uma cafetaria de uso público e a instalação de mobiliário urbano, sinalética e iluminação pública.

Para a autarquia liderada por Rui Moreira, "a parte central da cidade encontra-se já bastante colmatada por construção, pelo que a criação de um novo espaço verde de uso público se torna muito relevante".

O futuro Plano Diretor Municipal, que vai ser debatido na reunião de câmara da próxima segunda-feira (dia 24), tem expresso o objetivo de duplicar as áreas verdes de acesso público na cidade, durante a próxima década, o que passa pela criação, ampliação ou requalificação de parques e jardins públicos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de