Resultados

Grupo Santander reduz lucros em 10% para 1.840 milhões

Fotografia: REUTERS/Eloy Alonso
Fotografia: REUTERS/Eloy Alonso

Em Portugal, os lucros atingiram cerca de 135 milhões de euros nos três primeiros meses do ano.

O grupo espanhol Santander anunciou lucros de 1.840 milhões de euros no primeiro trimestre, menos 10% que no período homólogo de 2018, tendo o Santander Totta, em Portugal, contrariado esta redução com um aumento nos lucros.

De acordo com o comunicado do grupo espanhol, os lucros em Portugal atingiram cerca de 135 milhões de euros nos três primeiros meses do ano.

Numa nota enviada à Comissão Nacional do Mercado de Valores (CNMV), a executiva presidente do Banco Santander, Ana Botín, explicou que, apesar da queda do resultado globais do grupo, o lucro bruto aumentou em sete dos dez principais mercados.

Os Estados Unidos registaram novamente o maior crescimento nos lucros, mais 35% em relação ao mesmo período de 2018, enquanto o Brasil e México mantiveram o impulso positivo dos últimos anos, mais 15% e 10%, respetivamente.

Estes resultados foram obtidos “num contexto operacional difícil, especialmente no Reino Unido e na Europa”, apontou.

No Reino Unido, de acordo com o comunicado, o grupo sofreu uma quebra de 16% nos lucros em relação aos três primeiros meses de 2018.

O Brasil continua a ser o mercado que mais contribui para os resultados do grupo, com 29% do lucro global, seguido pela Espanha com 16%, Santander Consumer Finance, com 13%, e o Reino Unido com 11%.

Em Espanha, o lucro foi reduzido em 11%, para 403 milhões de euros, segundo a entidade.

O grupo bancário espanhol Santander fechou 2018 com um lucro de 7.810 milhões de euros, mais 18% do que no ano anterior, tendo o Santander Totta, em Portugal, contribuído com 500 milhões de euros para o resultado, mais 15% do que em 2017, um resultado conseguido devido à “melhoria da eficiência e a boa evolução da qualidade do crédito”.

O Santander Totta levou a cabo, em 2018, a integração do Banco Popular Portugal, com que ficou depois da resolução do espanhol Popular.

Já em 2015, o Santander Totta tinha adquirido parte da atividade bancária do Banif.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Presidente do Conselho de Finanças Públicas (CFP), Nazaré da Costa Cabral. MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Linhas de crédito anti-covid ainda podem vir a pesar muito nas contas públicas

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. FILIPE FARINHA/LUSA

Marcelo promulga descida do IVA da luz consoante consumos

Fotografia: Fábio Poço/Global Imagens

Apoio a rendas rejeitado devido a “falha” eletrónica

Grupo Santander reduz lucros em 10% para 1.840 milhões