Automóvel

Grupos Fiat Chrysler e PSA não pagam dividendos, mas mantêm fusão

Carlos Tavares, presidente executivo do grupo PSA. (ERIC PIERMONT / AFP)
Carlos Tavares, presidente executivo do grupo PSA. (ERIC PIERMONT / AFP)

Os grupos italiano-norte-americano Fiat Chrysler (FCA) e francês PSA não vão pagar dividendos em 2020 correspondentes ao ano fiscal de 2019 devido à pandemia da covid-19, mas continuam com os planos de fusão, foi anunciado.

Num comunicado, divulgado na quarta-feira à noite, o FCA sublinha que os planos de fusão com o grupo francês PSA, fabricante da Peugeot, Citroen e Opel, “estão a avançar positivamente” e que a operação está programada para ser concluída “antes do final do primeiro trimestre de 2021”.

Em 31 de outubro, o FCA e o PSA anunciaram que se iam fundir em partes iguais e tornar-se no quarto maior fabricante de automóveis do mundo, com sinergias estimadas em 3,7 mil milhões de euros por ano.

O futuro novo grupo automobilístico também terá vendas estimadas em 8,7 milhões de unidades (9,5% do total global) e uma capitalização de cerca de 45.000 milhões de euros.

O atual CEO (Chief Executive Officer, ou presidente executivo) da PSA, o português Carlos Tavares, continuará com a mesma posição no grupo resultante pelo menos durante cinco anos e o presidente da Fiat, John Elkan, será presidente do novo Conselho de Administração.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa. JOÃO RELVAS/POOL/LUSA

Governo cria complemento salarial até 350 euros para trabalhadores em lay-off

O primeiro ministro, António Costa, fala aos jornalistas durante a conferência de imprensa, 04 junho 2020, realizada no final da reunião do Conselho de Ministros, no Palácio da Ajuda, em Lisboa.     MANUEL DE ALMEIDA / POOL/LUSA

Banco de Fomento para Portugal com “aprovação provisória”

O primeiro ministro, António Costa, fala aos jornalistas durante a conferência de imprensa realizada no final da reunião do Conselho de Ministros, no Palácio da Ajuda,  em Lisboa, 29 de maio de 2020. O Governo decidiu adiar a passagem para a terceira fase de desconfinamento na Área Metropolitana de Lisboa e criou regras especiais, sobretudo em atividades que envolvem “grande aglomerações de pessoas”.  MANUEL DE ALMEIDA/POOL/LUSA

Trabalhadores em lay-off passam a receber entre 77% e 92% do salário

Grupos Fiat Chrysler e PSA não pagam dividendos, mas mantêm fusão