Gulbenkian

Gulbenkian investe em fundo de capital de risco de impacto social e ambiental

Fundação Gulbenkian
Fundação Gulbenkian

O montante do investimento não foi revelado, mas vai contar com o investimento do banco ATLANTICO Europa e do Fundo Europeu de Investimento.

A Fundação Calouste Gulbenkian vai investir, pela primeira vez, num fundo de capital de risco social e ambiental, através da sua carteira de investimentos, foi anunciado esta terça-feira.

“Aliar oportunidades de investimento à criação de impacto social e ambiental será determinante na resolução dos grandes desafios do nosso tempo. Esta decisão da fundação, mais do que um momento histórico, é um passo natural naquilo que tem sido o trabalho da fundação no desenvolvimento de um ecossistema de inovação e investimento social em Portugal”, disse, em comunicado, a presidente da Gulbenkian, Isabel Mota.

Apesar de não revelar o montante do investimento, a Gulbenkian referiu, no mesmo documento, que o fundo em causa conta também com o investimento do banco ATLANTICO Europa e do Fundo Europeu de Investimento.

O fundo de capital de risco “tem uma dimensão de 30 milhões de euros para investir, exclusivamente, em empresas europeias inovadoras com impacto social ou ambiental” e é da responsabilidade da Mustard Seed, capital de risco de impacto, e da MAZE, ‘startup’ (empresa com rápido potencial de crescimento económico) detida pela Gulbenkian.

De acordo com a fundação, o fundo em causa já angariou cerca de 25 milhões de euros e espera atingir os restantes cinco milhões de euros antes do fim do ano.

Uma das prioridades da Gulbenkian nos próximos cinco anos “é o Programa de Coesão e Integração Social, que tem sido líder na área de inovação social, através de iniciativas como o financiamento de títulos de impacto social ou o Grupo de Trabalho Português para o Investimento Social”.

Por sua vez, a MAZE é “o parceiro estratégico da Fundação Calouste Gulbenkian para a promoção de utilização de novas ferramentas de investimento e financiamento para a criação de impacto”.

Esta decisão integra-se no plano estratégico da fundação para a área da Inovação Social, na qual vai investir 10 milhões de euros em cinco anos.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa (E), conversa com o ministro de Estado e das Finanças, João Leão (D), durante o debate e votação da proposta do orçamento suplementar para 2020, na Assembleia da República, em Lisboa, 17 de junho de 2020. MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Bruxelas agrava projeção de contração em Portugal para 9,8%

Comissão Europeia, Bruxelas (REUTERS)

Bruxelas revê estimativas. Economia da zona euro deverá recuar 8,7% em 2020

Mário Centeno


TIAGO PETINGA/LUSA

Centeno defende repensar das regras da dívida e do défice na UE

Gulbenkian investe em fundo de capital de risco de impacto social e ambiental