media

HBO prepara entrada direta em Portugal e está a contratar

hbo

Companhia operava até aqui com um acordo de conteúdos com a NOS. Entrada poderá ocorrer no próximo ano

A HBO está a preparar a entrada direta no mercado nacional e já está a contratar. A empresa norte-americana não comenta esta informação, mas fontes ouvidas pelo Dinheiro Vivo admitem que uma HBO Portugal poderá arrancar no próximo ano.

A HBO operava em Portugal desde 2015 através de uma parceria de conteúdos com a NOS Lusomundo TV, distribuídos nos canais TV Cine & Séries. Ao Dinheiro Vivo, fonte oficial TV Cine & Séries admite que neste momento estão a “rever o âmbito da nossa parceria com a HBO.”

“Os Canais TV Cine & Séries têm por missão disponibilizar os melhores, mais diversos e premiados conteúdos aos seus subscritores, nos diferentes operadores de pay TV nacionais. Por esse motivo, trabalhamos diretamente com os principais estúdios e distribuidores a nível mundial, assegurando a exibição do que de melhor e mais recente se faz na indústria. Com esse foco, estamos neste momento a rever o âmbito da nossa parceria com a HBO”, disse ao Dinheiro Vivo.

Fonte oficial da HBO não quis comentar esta informação. Ao Dinheiro Vivo, Tatiana Carral, gestora de relações públicas da HBO Espanha, diz apenas que “neste momento não temos nenhum comentário oficial acerca da HBO Portugal”.

Na rede social LinkedIn a empresa norte-americana tem quatro ofertas de empresa disponíveis para o mercado nacional: social media coordinator, Marketing manager, distribution sales manager e CRM Project Manager. As ofertas que têm Lisboa como localização, sendo que a companhia admite que procura colaboradores para participar “no seu lançamento no mercado nacional”.

Expansão no pós compra da AT&T

No mercado português a companhia vai concorrer diretamente com o Netflix, no mercado desde 2015. Uma entrada que surge num momento em que já está concluída a compra da Warner Media (antiga dona da HBO) pela operadora de telecomunicações AT&T. No domingo, num encontro em Nova Iorque, o novo responsável da Warner Media, John Stankey, dava conta dos desafios esperados.

“Vai ser um ano duro”, disse John Stankey, citado pelo New York Times. “Vai ser muito trabalho para alterar e mudar um pouco a direção.”

Uma nova direção que poderá levar a HBO para um rumo mais próximo do Netflix. O novo responsável, um antigo executivo da AT&T, quer aumentar o número de horas que os telespectadores dedicam a ver os programas HBO.

“Precisamos mais horas por dia”, disse, referindo-se ao tempo despendido pelos telespectadores. “Não é horas por semana ou horas por mês. Precisamos horas por dia. Estamos a competir com aparelhos que estão nas mãos das pessoas e que cativam a sua atenção cada 15 minutos”.

O responsável quer aumentar o número de subscritores HBO. Nos Estados Unidos o canal que criou Os Sopranos tem 40 milhões de assinantes, valor a que se junta 142 milhões em todo o mundo. Números que não suficientes para Stankey.

Stankey também admite que a companhia terá de aumentar investimento, embora sem revelar valor. E em boa hora. Nos últimos três anos, a HBO injetou mais de 2 mil milhões de dólares na sua programação, tendo gerado lucros de cerca de 6 mil milhões de dólares. O rival Netflix já anunciou planos de investir cerca de 8 mil milhões de dólares este ano.

Uma aposta que surge num momento em que o consumo de conteúdos de vídeo está a mudar de forma substancial.

Não são conhecidos dados sobre Portugal, mas nos Estados Unidos, um estudo levado a cabo pela Cowen & Co, revela que o Netflix já a plataforma preferida para ver programas de entretenimento à frentes da televisão por cabo, televisões generalistas ou o YouTube. À pergunta ‘que plataforma usa mais frequentemente para ver conteúdos de vídeo na TV?’, 27% de um conjunto de 2500 americanos adultos escolheu o Netflix, bem à frente do YouTube (17%), do cabo (12,6%), da Hulu (7,6%) e da televisão generalista (7,5%).

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(REUTERS/Kevin Coombs)

Brexit. Europa avalia nova data para o divórcio: 31 de janeiro de 2020

(REUTERS/Kevin Coombs)

Brexit. Europa avalia nova data para o divórcio: 31 de janeiro de 2020

Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República portuguesa. Foto: REUTERS/Benoit Tessier

Marcelo pede mais crescimento. “Este que temos não chega”

Outros conteúdos GMG
HBO prepara entrada direta em Portugal e está a contratar