calçado

Helsar. Fábrica de sapatos dos famosos em processo de insolvência

Imagem do interior da fábrica da Helsar, em São João da Madeira. 

(André Gouveia / Global Imagens)
Imagem do interior da fábrica da Helsar, em São João da Madeira. (André Gouveia / Global Imagens)

Empresa de São João da Madeira era conhecida por ter calçado Pippa Middleton no casamento real britânico. Ficam 58 trabalhadores no desemprego

A Helsar, empresa de São João da Madeira que se tornou famosa por calçar Pippa Middleton no casamento real de Kate e William, com direito a notícias até na Forbes, fechou. Os trabalhadores – a unidade tinha 58 funcionários, número que inclui as duas filhas dos fundadores – estão concentrados à porta da fábrica, para cumprir o horário de trabalho e “tentar salvaguardar o património que lá está dentro”.

A notícia foi avançada pelo Correio de Manhã e confirmada pelo Dinheiro Vivo junto do Sindicato dos Operários da Indústria de Calçado. “Os trabalhadores foram informados, ontem, pelo advogado da empresa, que a Helsar se apresentou à insolvência e que terão de esperar pela nomeação do administrador judicial para terem as cartas para o subsídio de desemprego. O que é lamentável, por temos ali muitos casais, e se a empresa lhes tivesse passado as cartas já se poderiam ter inscrito no Centro de Emprego e ao menos recebiam por algum lado. Ou podiam procurar trabalho, assim, com sorte e a correr bem, só lá para janeiro é que recebem a documentação e só lá para fevereiro é que começam a receber alguma coisa”, lamenta Fernanda Moreira.

Segundo a dirigente sindical, os operários “estavam há 15 dias sem produção”, pelo que “já esperavam que alguma coisa fosse acontecer”. “Não estavam era à espera que a administração, que diz que não quer prejudicar ninguém, empurrasse as suas obrigações para outros”, diz, em referência ao administrador judicial.

A empresa não tinha salários em atraso. “Havia umas horas por pagar, mas ordenados não. Só o subsídio de Natal, que se vence a 15 de dezembro, e o mês de dezembro. Mas já lhes foi dito que a empresa não tem dinheiro. Se não estão a produzir…”, refere Fernanda Moreira.

O Dinheiro Vivo tentou, sem sucesso, contactar a administração, que se mantém em silêncio. Há dois anos, e ainda a viver o impacto das notícias sobre os sapatos para o casamento real, a Helsar sonhava chegar ao mercado árabe, mas, também ao Japão e Estados Unidos. Produzia, então, 200 pares de sapatos por dia e trabalhava, essencialmente, para grandes clientes internacionais, como Jean Paul Gaultier, Schumacher, Emmy Shoes, Jimmy Choo, Diamond Heels ou The Office of Angela Scott, na California.

Recorde-se que as insolvências têm vindo a crescer na indústria, em contraciclo com a tendência geral da economia portuguesa, mas a quebra nas exportações, pelo segundo ano consecutivo, está a causar grandes dificuldades a muitas empresas. As vendas ao exterior do setor caíram, o ano passado, quase 3%, a que se junta a quebra de 7,5% nos primeiros oito meses de 2019.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
dbrs-1060x594

DBRS mantém rating de Portugal em ‘BBB’ e perspetiva estável

O primeiro-ministro, António Costa, intervém durante a cerimónia de assinatura de declaração de compromisso de parceria para Reforço Excecional dos Serviços Sociais e de Saúde e lançamento do programa PARES 3.0, no Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, em Lisboa, 19 de agosto de 2020. ANDRÉ KOSTERS/LUSA

“Na próxima semana podemos chegar aos 1000 casos por dia”, avisa Costa

App Stayaway covid

App Stayaway Covid perto do milhão de downloads. 46 infetados enviaram alertas

Helsar. Fábrica de sapatos dos famosos em processo de insolvência