calçado

Helsar. Fábrica de sapatos dos famosos em processo de insolvência

Imagem do interior da fábrica da Helsar, em São João da Madeira. 

(André Gouveia / Global Imagens)
Imagem do interior da fábrica da Helsar, em São João da Madeira. (André Gouveia / Global Imagens)

Empresa de São João da Madeira era conhecida por ter calçado Pippa Middleton no casamento real britânico. Ficam 58 trabalhadores no desemprego

A Helsar, empresa de São João da Madeira que se tornou famosa por calçar Pippa Middleton no casamento real de Kate e William, com direito a notícias até na Forbes, fechou. Os trabalhadores – a unidade tinha 58 funcionários, número que inclui as duas filhas dos fundadores – estão concentrados à porta da fábrica, para cumprir o horário de trabalho e “tentar salvaguardar o património que lá está dentro”.

A notícia foi avançada pelo Correio de Manhã e confirmada pelo Dinheiro Vivo junto do Sindicato dos Operários da Indústria de Calçado. “Os trabalhadores foram informados, ontem, pelo advogado da empresa, que a Helsar se apresentou à insolvência e que terão de esperar pela nomeação do administrador judicial para terem as cartas para o subsídio de desemprego. O que é lamentável, por temos ali muitos casais, e se a empresa lhes tivesse passado as cartas já se poderiam ter inscrito no Centro de Emprego e ao menos recebiam por algum lado. Ou podiam procurar trabalho, assim, com sorte e a correr bem, só lá para janeiro é que recebem a documentação e só lá para fevereiro é que começam a receber alguma coisa”, lamenta Fernanda Moreira.

Segundo a dirigente sindical, os operários “estavam há 15 dias sem produção”, pelo que “já esperavam que alguma coisa fosse acontecer”. “Não estavam era à espera que a administração, que diz que não quer prejudicar ninguém, empurrasse as suas obrigações para outros”, diz, em referência ao administrador judicial.

A empresa não tinha salários em atraso. “Havia umas horas por pagar, mas ordenados não. Só o subsídio de Natal, que se vence a 15 de dezembro, e o mês de dezembro. Mas já lhes foi dito que a empresa não tem dinheiro. Se não estão a produzir…”, refere Fernanda Moreira.

O Dinheiro Vivo tentou, sem sucesso, contactar a administração, que se mantém em silêncio. Há dois anos, e ainda a viver o impacto das notícias sobre os sapatos para o casamento real, a Helsar sonhava chegar ao mercado árabe, mas, também ao Japão e Estados Unidos. Produzia, então, 200 pares de sapatos por dia e trabalhava, essencialmente, para grandes clientes internacionais, como Jean Paul Gaultier, Schumacher, Emmy Shoes, Jimmy Choo, Diamond Heels ou The Office of Angela Scott, na California.

Recorde-se que as insolvências têm vindo a crescer na indústria, em contraciclo com a tendência geral da economia portuguesa, mas a quebra nas exportações, pelo segundo ano consecutivo, está a causar grandes dificuldades a muitas empresas. As vendas ao exterior do setor caíram, o ano passado, quase 3%, a que se junta a quebra de 7,5% nos primeiros oito meses de 2019.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Ana Catarina Mendes, líder parlamentar do PS. Fotografia:  Pedro Rocha / Global Imagens

PS quer acabar com vistos gold em Lisboa e no Porto

O ministro das Finanças, Mario Centeno. Fotografia ANDRÉ KOSTERS/LUSA

Finanças. Défice foi de 599 milhões de euros em 2019

João Paulo Correia, deputado do PS. MÁRIO CRUZ/LUSA

PS avança com aumento extra das pensões mas a partir de agosto

Helsar. Fábrica de sapatos dos famosos em processo de insolvência