Turismo

Hotéis cheios até 120 km de Fátima para ver o Papa

Papa

Espera-se mais de 1 millhão de turistas no fim-de-semana de 13 e 14 de maio. Dois mil autocarros vão até Fátima

Todos os anos, o mês de maio leva a Fátima milhares de turistas. Vão a propósito das comemorações que envolvem as aparições e, este ano, as razões são redobradas com a vinda do Papa Francisco. Esperam-se, por isso, um milhão de turistas só para o fim-de-semana de 13 e 14. Os hotéis estão a receber reservas de peregrinos a mais de uma hora do Santuário.

“Um milhão de pessoas em Fátima é uma coisa fantástica. Um estádio de futebol não leva mais do que 50 a 60 mil. Este vai ser certamente o maior evento de sempre”, afirmou ao Dinheiro Vivo, Alexandre Marto, vice-presidente da Associação Empresarial Ourém-Fátima (ACISO) e administrador de um grupo hoteleiro da região, sublinhando que 60% das dormidas dizem respeito a turistas estrangeiros.

Em regra, os hotéis da região esgotam por esta altura – “independentemente do dia da semana a que o 13 de maio calha” -, mas com a vinda do Papa Francisco a Portugal e a comemoração do centenário das Aparições, os alojamentos estão com casa cheia a mais de 100 quilómetros do Santuário.

Estatuetas do papa Francisco à venda nas lojas de recordações Fotografia: PAULO NOVAIS/LUSA

Estatuetas do papa Francisco à venda nas lojas de recordações
Fotografia: PAULO NOVAIS/LUSA

“Temos consciência que umas centenas de milhar de pessoas só virão a Fátima por causa de Portugal e pernoitarão noutras cidades do País, o que confirma um fenómeno de contágio. Temos pessoas a confirmarem noites pagas em Lisboa, Figueira da Foz, Coimbra, Caldas da Rainha, Abrantes… até uma hora e pouco de viagem, 100 a 120 quilómetros, temos hóspedes em todo o lado”, afirmou Alexandre Marto, lembrando que “não são os hoteleiros da região que vão receber o jackpot, é todo o País. E este ano conjugam-se vários fatores que o possibilitam: é o sábado, é o centenário e é o próprio fim-de-semana”, destaca.

O fenómeno de arrastamento do número de turistas é a grande novidade deste ano. É que Fátima e Ourém não têm mais do que 7500 camas em estabelecimentos hoteleiros. É uma das maiores capacidades concentradas em todo o país, mas um valor francamente aquém dos números que o Papa Francisco vai movimentar.

“Muitas das pessoas vão ficar por aqui, mas muitos vão procurar mais longe”, salienta o responsável, não prevendo que o Alojamento Local tenha expressão na zona.

“O mercado estrangeiro que visita Fátima é cada vez mais exigente. Pagam-se pacotes caríssimos que envolvem a viagem, estadia e deslocações”, afirma Alexandre Marto. Estas pessoas, além de Fátima, vão ainda a Santiago de Compostela ou Lurdes, locais com uma forte componente de Turismo Religioso.

Com um milhão de visitantes neste fim-de-semana, a cidade para além de cheia, terá condicionamentos de trânsito e zonas interditas à circulação de veículos – só autocarros vão contar-se à volta de 3 mil. Também são esperados meios adicionais de segurança e um forte reforço policial.

Fátima é o expoente máximo do Turismo religioso em Portugal. Em todo o mundo estima-se que mais de 300 milhões viajem por motivos de fé.

Em 2016, o ano ficou marcado pela ida de oito milhões de pessoas a Fátima. Para 2017, espera-se “o maior evento de sempre”. Mais de 30% dos visitantes são turistas estrangeiros a visitarem o País.

Quem são? Brasileiros, norte-americanos, indianos, indonésios e filipinos. A população da Coreia do Sul praticamente só visita Portugal para ir ao Santuário.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Céu cinzento de Londres. Fotografia: D.R.

Portugal fora do corredor turístico britânico. Madeira e Açores entram

O ministro de Estado e das Finanças, João Leão, acompanhado pelo ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos (Foto: Mário Cruz/Lusa)

Recuperar poder de decisão na TAP obriga Estado a pagar mais

O presidente do conselho de administração da TAP, Miguel Frasquilho. (Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

Frasquilho: Reestruturação da TAP “não vai ser isento de dor”

Hotéis cheios até 120 km de Fátima para ver o Papa