Imobiliário

Housers. Procuram-se investidores para um imóvel em Paço de Arcos

Housers Oeiras

Startup permite aos portugueses investir no mercado imobiliário em Portugal a partir de 50 euros.

Há uma nova campanha de crowdfunding a decorrer para a compra de um imóvel na zona de Paço de Arcos, em Oeiras, onde todos os portugueses são chamados a contribuir com um montante mínimo de 50 euros. Este é o quinto projeto da Housers em Portugal, uma plataforma de financiamento imobiliário participativa, fundada em Madrid, no início de 2016.

O apartamento, um T1 localizado na Rua Carlos Luz, em Paço de Arcos, “é uma oportunidade de investimento com grande potencial de valorização e procura”, sublinha o CEO da Housers em Portugal, João Távora, citado em comunicado. De acordo com o relatório de avaliação imobiliária em Paço de Arcos, “a evolução dos preços de arrendamento na zona aumentou 12% e os preços de venda registaram um crescimento de 14%”.

Finalizada a angariação, a Housers irá conceder um empréstimo a um promotor, a quem caberá a compra, remodelação, arrendamento e, num prazo de cinco anos, a venda do imóvel. Ao participarem neste projeto, todos os investidores têm direito a uma fatia do valor correspondente ao arrendamento do imóvel. Através da Marketplace, uma ferramenta da plataforma que junta vários investidores, poderão também vender ou comprar títulos.

Segundo a empresa, o ativo terá uma rentabilidade líquida anual que rondará os 4%, no caso de arrendamento. A cinco anos, a Housers estima que poderá vir a atingir uma rentabilidade acumulada de 25,14%.

Atualmente, a plataforma conta com mais de quatro mil portugueses registados, num total de 81 mil utilizadores de todo o mundo. Até agora, a Housers conseguiu angariar mais de 53 milhões de euros através de financiamento coletivo.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fotografia: João Manuel Ribeiro/Global Imagens

Número de desempregados é o mais baixo dos últimos 28 anos

Fotografia: João Manuel Ribeiro/Global Imagens

Número de desempregados é o mais baixo dos últimos 28 anos

O antigo ministro das Finanças, Teixeira dos Santos ouvido na II Comissão Parlamentar de Inquérito à Recapitalização da Caixa Geral de Depósitos e à Gestão do Banco. Assembleia da República, Lisboa, 19 de junho de 2019. MIGUEL A. LOPES/LUSA

As razões de Teixeira dos Santos – e aquilo que nunca soube

Outros conteúdos GMG
Housers. Procuram-se investidores para um imóvel em Paço de Arcos