Huawei. Exclusão da rede 5G pode ter impacto de 500 milhões no PIB nacional

Exclusão da tecnológica das redes de quinta geração poderá levar a impactos negativos na ordem dos três mil milhões de euros/ano a nível europeu.

A exclusão da chinesa Huawei do desenvolvimento das redes de 5G poderá ter um custo na ordem dos 63 milhões de euros por ano, podendo atingir os 95 milhões, com uma redução estimada do PIB nacional na ordem dos 500 milhões de euros em 2023, valor que pode atingir os 1.100 milhões de euros, de acordo com um estudo levado a cabo pela Oxford Economics, divulgado pela Huawei.

Na Europa uma exclusão da tecnológica das redes de quinta geração poderá levar a impactos negativos na ordem dos três mil milhões de euros/ano, um aumento de 19% dos custos anuais do investimento associado ao desenvolvimento desta tecnologia cujo arranque é esperado em 2020 na Europa, aponta o relatório "Restricting Competition in 5G Network Equipment throughout Europe".

O estudo da Oxford Economics surge numa altura em que a nível europeu se aguarda uma decisão sobre uma eventual exclusão de empresas da rede 5G por questões de segurança dos sistemas e depois de no Reino Unido o governo britânico ter anunciado, em meados de julho, a decisão de obrigar os operadores de telecomunicações a remover, até final de 2027, todo o equipamento da Huawei utilizado na infraestrutura 5G, tendo ainda proibido a partir de dezembro a compras de novos equipamentos da marca para a quinta geração móvel.

Em Portugal, de acordo com os operadores, a Huawei embora seja parceira de operadoras como a Altice ou a NOS no 5G não faz parte da rede core.

Em Portugal aguarda-se as conclusões do grupo de trabalho criado para analisar este tema. Um trabalho que "já está concluído", adiantou Alberto Souto de Miranda, secretário de Estado das Comunicações, na comissão parlamentar de Economia, Inovação, Obras Públicas e Habitação. "Espero que conclusões que foram apresentadas pelo grupo de trabalho sejam sufragadas pelo Governo", disse, citado pela Lusa.

"Parece-nos que a posição europeia dominante irá ser no sentido de diversificar a panóplia de fornecimentos e, sobretudo, obrigar que isso aconteça nas infraestruturas críticas do país, militares, entre outras, em que tem de haver redundância ou excluí-las", referiu o governante. "Pessoalmente, não me choca que havendo dúvidas sobre se determinada tecnologia não inspira total confiança que haja uma decisão política de que ali, naquela rede 'core' daquele departamento em concreto do serviço de informações não entra tecnologia chinesa, nem tecnologia norte-americana, entra só tecnologia europeia".

O que diz o estudo

Para Portugal, a exclusão da Huawei poderia ter um custo anual até 95 milhões, bem como um impacto até 1.100 milhões de euros no PIB até 2023; um milhão de portugueses não teria acesso a 5G até essa data, podendo ascender a 1,4 milhões de pessoas.

Os serviços 5G e atividades associadas poderão ter um impacto de 3,7 mil milhões de euros para o PIB, e apoiar a criação de cerca de 127 300 empregos.

A nível europeu os impactos negativos podem ascender a três mil milhões de euros/ano, bem como um aumento de 19% do custo anual associado aos investimentos de implementação da redes 5G, podendo impactar o PIB europeu em 40 mil milhões de euros até 2035, tendo por base valores de 2020, com 56 milhões de pessoas a ver adiado o acesso ao 5G até 2023.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de