Hotelaria

Hyatt recua na decisão de comprar o NH

Fotografia: REUTERS/Joshua Lott
Fotografia: REUTERS/Joshua Lott

A luta pelo controle total do NH foi curta. A Hyatt terá desistido de lançar uma OPA sobre a totalidade da rede de hotéis espanhola.

O medir de forças na luta pelo controlo total do NH Hotel Group chegou ao fim. A hoteleira norte-americana Hyatt deu um passo atrás na decisão de avançar com uma proposta de compra do NH, noticiam hoje os meios especializados.

O interesse da empresa em avançar com uma oferta pública de aquisição (OPA) sobre o NH esmoreceu em menos de uma semana. A posição da cadeia de hotéis é clara ao concluir que lançar uma OPA agora é “praticamente inviável”, disse Mark Hoplamazian, presidente do Hyatt, numa carta dirigida a Pedro Ferreras, presidente do NH.

Na “corrida” à aquisição do NH continua o grupo tailandês Minor Internacional, através da sua subsidiária MHG Continental Holding, cuja proposta está ainda a ser analisada pela Autoridade da Concorrência. O preço proposto pela empresa, que detém uma participação de 44%, é de 6,30 euros por cada ação da rede de hotéis liderada por Ramón Aragonés.

A Hyatt, contudo, insiste que o preço oferecido pela Minor, dona dos hotéis Tivoli em Portugal, “subestima o valor intrínseco do NH”. O grupo norte-americano mostrou-se “disponível para diálogo” com o NH para encontrar “outros caminhos”.

O NH Hotel Group conta com uma carteira de 382 hotéis e resorts em 30 países na Europa, América e África. Fundado em 1978, o grupo opera três unidades em Portugal, num total de mais de 250 quartos – NH Campo Grande, NH Collection Lisboa Liberdade e NH Collection Porto Batalha.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: Gustavo Bom/Global Imagens

Não conseguiu validar as faturas para o IRS? Contribuintes têm mais um dia

O ministro das Finanças, Mário Centeno, na apresentação das obras de arte da coleção BPN, agora integradas na Coleção do Estado, no Forte de Sacavém. Fotografia: TIAGO PETINGA/LUSA

Fundo de Resolução já pagou em juros 530 milhões ao Estado e 90 milhões a bancos

(Filipe Amorim / Global Imagens)

Venda do Novo Banco é “um não-assunto” para o Fundo de Resolução

Hyatt recua na decisão de comprar o NH