Barragens da Iberdrola

Iberdrola investe 1,84ME no complexo mineiro romano de Tresminas

D.R.
D.R.

A Iberdrola vai investir 1,84 milhões de euros até 2023 em Vila Pouca de Aguiar, uma contrapartida pela construção das barragens do Tâmega.

A Iberdrola vai investir 1,84 milhões de euros até 2023 em Tresminas, Vila Pouca de Aguiar, uma contrapartida pela construção das barragens do Tâmega para impulsionar a candidatura do complexo mineiro romano à UNESCO.

Tresminas é dos projetos que integra as ações de compensação levadas a cabo pela elétrica espanhola, no âmbito da construção do Sistema Eletroprodutor do Tâmega, que inclui a construção das barragens do Alto Tâmega, Daivões e Gouvães.

Neste âmbito, segundo informou a Iberdrola esta quarta-feira, em comunicado, vão ser aplicados 1,84 milhões de euros, entre 2016 e 2023, no complexo mineiro de Tresminas.

Este investimento, de acordo com o que está estabelecido na Declaração de Impacte Ambiental (DIA), tem como objetivo a “valorização e divulgação da antiga área mineira de Tresminas e que contempla áreas como a segurança, investigação científica, conservação, gestão e ordenamento do território e ainda a promoção turística”.

Entre 2016 e o final de 2018, a empresa investirá cerca de 850 mil euros para a concretização de ações que vão desde o financiamento da equipa técnica, a continuação dos estudos histórico, geológico e de fauna e flora de Tresminas, a aquisição de equipamento para visitas às cortas e galerias mineiras, a sua limpeza ou desobstrução, a construção do edifício de apoio e estruturas e equipamentos de apoio à circulação nas cortas e galerias mineiras.

As ações foram acordadas entre o município de Vila Pouca de Aguiar e a Direção Regional de Cultura do Norte.

Tresminas representa uma das mais importantes explorações de ouro do Império Romano. As minas foram geridas diretamente pela guarda do imperador romano. Aqui, a exploração de ouro decorreu ao longo de 450 anos e depois não teve mais intervenções.

É por isso, segundo a autarquia, um “património arqueológico único” que se preserva desde “há cerca de 2000 anos”.

Dos trabalhos de exploração resultou um conjunto monumental formado pelas cortas de exploração a céu aberto e por um complexo de poços e galerias subterrâneas.

A Câmara de Vila Pouca de Aguiar quer agregar Tresminas ao complexo mineiro de Lás Médulas, que é Património Mundial da UNESCO desde 1997, na categoria de paisagem cultural.

A candidatura conjunta prevê a implementação de um projeto cultural que tem como objetivo a valorização do legado mineiro romano na Península Ibérica.

A Iberdrola está a promover, no Tâmega, um dos maiores projetos hidroelétricos realizados na Europa nos últimos 25 anos, contemplando a construção de três barragens, 1.500 milhões de euros de investimento e a criação de 13.500 empregos diretos e indiretos durante o período de maior volume dos trabalhos (2018-2020).

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Centeno mantém crescimento de 1,9% este ano. Acelera para 2% no próximo

O ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: José Sena Goulão/Lusa

Dívida pública desce mais devagar do que o previsto

desemprego Marcos Borga Lusa

Taxa de desemprego nos 5,9% em 2020. A mais baixa em 17 anos

Outros conteúdos GMG
Iberdrola investe 1,84ME no complexo mineiro romano de Tresminas