Iberia aposta na Copa do Mundo depois de ‘loucura’ da Champions

Manuela Barber chegou a Lisboa em novembro
Manuela Barber chegou a Lisboa em novembro

"Para nós o Brasil é a América Latina", afirma Manuela Barber, a nova delegada comercial da Iberia em Portugal, que já tem um olho na Copa do Mundo, que se inicia no dia 12 de junho, no Brasil.

Em entrevista ao Dinheiro Vivo, a responsável, que aterrou nas operações da companhia aérea espanhola em novembro, preferiu não falar de números, muito menos da concorrência das outras empresas de aviação. Mas lembrou que depois da renovação da imagem da empresa, o importante é captar a atenção dos portugueses. E, depois do jogo do título da Champions, que decorreu no final de maio em Lisboa, já há novo alento para iniciar os transportes para o Mundial do Brasil.

O evento, que colocou Atlético de Madrid contra o Real Madrid, exigiu um reforço das operações da companhia espanhola que trouxe para Lisboa mais 22 aviões em quatro dias: 10 charters e 12 comerciais. Mas o esforço compensou: “estavam cheios. eu estava num voo Madrid Lisboa e tive sorte de conseguir porque usámos um A330, com mais capacidade, e mesmo assim estava completamente cheio”, afirmou a responsável.

É este exemplo que a Iberia vai utilizar para a Copa do Mundo no Brasil, aproveitando a remodelação da imagem e captando o interesse dos passageiros. “Vamos manter as operações normais que são dois voos diários para São Paulo, um voo diário para o Rio de Janeiro”, afirma, acrescentando que “para a copa somos os transportadores oficiais da seleção espanhola”.

Portugal pode contribuir para esse fluxo? “Os portugueses já utilizam a Iberia, o objetivo é que utilizem mais e que nos vejam como a companhia líder para a América Latina”, afirmou Manuela Barber, evitando responder se o empenho da TAP nestes mercados pode dificultar a afirmação em Portugal. “Não estou aqui para falar da concorrência, mas sim falar da Iberia. Da nova Iberia e da contribuição dos portugueses”, afirmou, garantindo que Lisboa-Madrid “é uma rota que contribui muito para o nosso tráfego”. “Quando um passageiro português chega a Madrid tem a possibilidade de se ligar a 93 destinos da rede Iberia”, completa.

Como? “Portugal é um dos países mais importantes para o nosso tráfego de rede. Mesmo com a crise, porque caso contrário não estaríamos a sentir tantas melhorias”. Os números apresentados falam por si: com cinco voos diários, a rota Lisboa-Madrid cresceu 12% em número de passageiros, enquanto a rota Porto-Madrid cresceu 24%. E para este ano, a aposta é grande: serão disponibilizados pela companhia 453 mil lugares em Lisboa e 176 mil no Porto. “Estamos a oferecer mais 4% de assentos em Lisboa do que no ano passado, e mais 7% no Porto”, confirma a responsável.

Para quê? “Para poder alimentar a distribuição na América Latina”. Manuela Barber lembra ainda que os destinos mais utilizados pelos portugueses são São Paulo, Rio de Janeiro, Londres, Bruxelas, México, Miami e Alicante. Os dois primeiros, são destinos de forte aposta da TAP, a companhia aérea nacional.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
coronavirus lay-off trabalho emprego desemprego

Empresas com quebras de 25% vão poder pedir apoio à retoma

Balcão da ADSE na Praça de Londres em Lisboa.

( Jorge Amaral/Global Imagens )

ADSE quer 56 milhões do Orçamento do Estado por gastos com isentos

Fotografia: Miguel Pereira / Global Imagens

Quase 42 mil empresas recorreram a apoios que substituíram lay-off simplificado

Iberia aposta na Copa do Mundo depois de ‘loucura’ da Champions