Ikea fecha lojas mas mantém online. "Não prevemos um novo processo de layoff"

Cadeia mantém online em funcionamento "pelo que os colaboradores manterão a atividade nas suas unidades", diz a cadeia sueca.

A Ikea encerrou as lojas físicas durante o confinamento, mas a cadeia mantém o online a funcionar e, ao contrário do primeiro encerramento em março do ano passado, não vai avançar para lay-off dos seus mais de 2500 trabalhadores. "Considerando o que sabemos hoje, não prevemos um novo processo de layoff", garante fonte oficial da cadeia.

"Apesar do fecho das lojas físicas, a Ikea irá manter todos os canais online disponíveis, oferecendo diferentes opções de serviço aos clientes, pelo que os colaboradores manterão a atividade nas suas unidades. Claro que podem ser necessários ajustes, tanto nos horários como nas tarefas realizadas, para garantir que respondemos da melhor e mais eficiente forma às necessidades dos nossos clientes, porém, considerando o que sabemos hoje, não prevemos um novo processo de layoff", adianta fonte oficial quando questionada pelo Dinheiro Vivo sobre o tema.

Neste novo confinamento geral, recorde-se, está previsto que o mecanismo de click and collect, permitindo que lojas de retalho especializado mantenham alguma atividade.

As lojas suecas, área da cadeia de lojas dedica à venda de produtos alimentares, continuarão abertas neste período de confinamento, de segunda a sábado, entre as 9h e as 19h, explica a Ikea.

Durante o primeiro confinamento, a cadeia avançou em abril para o lay-off de 65% dos colaboradores (com o pagamento de 100% do salário base) mas a elevada procura online sentida durante o período levou a cadeia a decidir devolver em vários mercados os apoios recebidos durante o encerramento. Em Portugal, isso levou à devolução em julho do ano passado de 500 mil euros.

"Agora que as nossas lojas se vão concentrar principalmente no apoio às operações online, vamos manter uma grande atenção às medidas de segurança, incluindo o uso correto de equipamentos de proteção, assegurando a distância de segurança e higienizando as mãos constantemente", diz ainda a cadeia.

"Estaremos atentos à evolução da situação, desejando que as medidas restritivas agora em vigor tenham resultados rápidos e de longo prazo na diminuição do número de infeções, para que possamos dar novamente as boas-vindas aos nossos clientes nas lojas, em segurança", concluem.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de