Imobiliária internacional vende casas de luxo na Madeira em criptomoedas

A Prometheus International aceitou fechar a venda duas moradias por 4,1 milhões de euros em criptomoedas Cardano. Está disposta a comercializar outros imóveis noutras criptos e também em moeda tradicional.

Sónia Santos Pereira
Imóveis da Prometheus na Madeira © D.R.

A promotora Prometheus International acaba de anunciar que vendeu duas moradias de luxo na Madeira por 4,1 milhões de euros mas, desta vez, e ao contrário do que é habitual, o negócio foi pago em criptomoedas.

Segundo o grupo imobiliário, é a primeira vez que uma operação desta envergadura é realizada em criptomoedas, no caso a Cardano, em Portugal. Em comunicado enviado às redações, a promotora diz mesmo que este negócio marca "o início da revolução blockchain no país.

Na mesma nota, Priyesh Patel, CEO da Prometheus, revela que a empresa desenvolveu novos protocolos que permitem a integração desta nova área de mercado nos seus requisitos internos KYC - Know Your Costumer (em português, conheça o seu cliente) para concluir a transação em euros antes do registo e torná-la compatível com as leis europeias.

A propriedade dos imóveis ficará disponível como um NFT (Token Não-Fungível), permitindo aos donos revenderem os imóveis com apenas um clique, através da tecnologia blockchain.

A equipa jurídica da Prometheus irá assegurar que as transferências e os registos de propriedade estejam em conformidade com toda a legislação aplicável, até que os governos adotem a tecnologia blockchain nos seus processos, garante o grupo.

As duas moradias agora vendidas ainda estão em construção, integrando os projetos Aurora e Interestelar, na Calheta, e o Saudade, na Ponta do Sol, que o grupo está a desenvolver num investimento superior a 15 milhões de euros. Os empreendimentos deverão estar concluídos em 2022.

A empresa, cuja atividade de promoção imobiliária em Portugal está centrada na ilha da Madeira, diz que aceita vender os seus imóveis em qualquer tipo de cripto, mas também em moeda tradicional.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG