JOM entra no negócio residencial com projeto de 20 milhões no Porto

O grupo português está a construir dois edifícios junto ao polo da Asprela tendo em vista o mercado de arrendamento.

Sónia Santos Pereira
O Olimpo Studios começou a ser construído em fevereiro deste ano. © D.R.

O grupo JOM, que detém uma rede com 23 lojas de mobiliário e artigos para o lar no país, e duas fábricas de móveis, está a construir 160 apartamentos T0 junto ao campus universitário da Asprela, no Porto, num investimento de 20 milhões de euros. Este é o primeiro projeto residencial do grupo do empresário vimaranense Joaquim Oliveira Mendes, mas em carteira estão já planos para Guimarães e Vila Real.

O Olimpo Studios, em obra desde fevereiro deste ano, integra dois edifícios habitacionais, com apartamentos de 35 metros quadrados, dimensão que tem em vista o mercado dos estudantes universitários e dos jovens trabalhadores. Segundo Clávio Cristo, diretor de marketing da JOM, este projeto foi concebido dentro do conceito built to rent (construir para arrendar), sendo o objetivo do grupo português a venda dos apartamentos a investidores. Como adiantou, "sendo uma zona perto do polo universitário da Asprela e de hospitais, optou-se por uma tipologia adequada a necessidades de arrendamento". O Olimpo Studios deverá ficar concluído em abril de 2023.

Em breve, o grupo deve iniciar a construção do seu segundo projeto residencial, desta vez com a aposta direcionada para Vila Real. Na cidade transmontana, a JOM vai construir um edifício com 33 apartamentos, 18 de tipologia T1 e 15 T0. Sem revelar o valor do investimento, o grupo afirmou prever ter este empreendimento concluído no verão do próximo ano. Em Guimarães, a empresa tem em pipeline a construção de um condomínio fechado para o segmento médio/alto.

Nova empresa

A aposta no setor imobiliário do grupo especializado no fabrico e comércio de mobiliário conduziu à criação, no ano passado, da JOM Construções e Investimentos. Como explicou Clávio Cristo, todas as lojas JOM, desde a compra do terreno até à conclusão da obra são realizadas por equipas internas, incluindo a coordenação da arquitetura e especialidades, a escolha dos materiais e subempreiteiros, o desenho do lay-out. Para que todo o processo tivesse uma marca mais profissional foi criado, em 2018, um departamento de engenharia e, nesse mesmo ano, o grupo decidiu apostar forte no negócio da compra e venda de bens imobiliários. Com o objetivo de separar as águas, avançou para a constituição, em plena pandemia, da JOM Construções e Investimentos.

No seu primeiro exercício, a nova empresa ficou responsável pela construção da loja de Barcelos, pela remodelação do retail park das Caldas da Rainha, e arrancou com as obras da unidade de logística no Montijo e de mais um espaço da marca em Portimão. Já neste ano, pretende iniciar os projetos das novas lojas de Gondomar e Torres Vedras, e a renovação de um edifício em Sintra que irá albergar um hotel de 33 quartos.

O grupo JOM integra duas outras empresas homónimas, uma que explora o parque de lojas espalhado pelo país e a operação online, e uma industrial, que se dedica à produção de mobiliário e fabrica mais de 50% dos móveis vendidos nos espaços comerciais da marca. As três sociedades do grupo, que empregam cerca de 500 trabalhadores, registaram no ano passado uma faturação agregada de 46,2 milhões de euros, com o retalho a valer 41,6 milhões.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG